PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Maus-tratos na infância
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Maus-tratos na infância

Maus-tratos na infância

17/01/2017
  832   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Todos nós sabemos, ou deveríamos saber, que crianças que sofrem maus tratos, seja de qualquer forma (abusos verbais, sexuais, físicos, negligências, etc.) são mais propensas a ter mais dificuldades e pior saúde durante a vida. Isto vem sendo discutido na imprensa há muitos anos.

Para responder à pergunta: Os maus-tratos na infância traduzem-se em padrões de vida mais baixos econômica e socialmente?, autores americanos criaram o estudo, “Maus-tratos infantis e adultos – Padrões de Vida em 50 Anos“, publicado na edição de janeiro de 2017 de Pediatrics, no qual examinaram a situação socioeconômica adulta de 8.076 indivíduos nascidos em 1958 para ver como eles se saíram como adultos, olhando para marcadores tais como ausências por doença de longa duração, desemprego e insegurança financeira.

Eles descobriram que o mal-estar na infância está associado a resultados socioeconômicos médios na idade adulta, com um risco maior para aqueles que experimentaram vários tipos de maus-tratos. Isso sugere que o impacto dos maus-tratos na infância persiste ao longo de décadas.

O estudo sugeriu que a leitura mais fraca e habilidades matemáticas de crianças negligenciadas podem ter dificultado a sua capacidade de encontrar trabalho e progresso no mercado de trabalho. Os autores dizem que suas descobertas defendem o apoio a programas de subsídios para habilidades cognitivas e desenvolvimento de crianças que foram negligenciadas.

Os autores também concluem que suas descobertas sugerem que aqueles que experimentaram maus-tratos na infância crescem para experimentar desvantagem socioeconômica, o que por sua vez pode afetar sua saúde e a da próxima geração.

Saiba mais: TEXTOS:

  1. https://institutopensi.org.br/blog-saude-infantil/determinantes-sociais-da-saude-infantil/
  2. https://institutopensi.org.br/blog-saude-infantil/dia-internacional-das-criancas-vitimas-de-agressao/

VÍDEOS

  1. https://institutopensi.org.br/blog-saude-infantil/estresse-toxico-e-seus-efeitos/
  2. https://www.youtube.com/watch?v=4ywPKOo9W9g
  3. https://www.youtube.com/watch?v=lWIC4vJ1jVo
  4. https://www.youtube.com/watch?v=bsFXSH8Z5H0&list=PLvfZHqGPp_MteUiK5xfma_NuTMsB6pq82
  5. https://www.youtube.com/watch?v=y6Y_tpf5LEk

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Pediatrics January 2017, VOLUME 139 / ISSUE 1

Child Maltreatment and Adult Living Standards at 50 Years

Snehal M. Pinto Pereira, Leah Li, Chris Power

 

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade