PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Os perigos de usar anestésicos locais usados na dentição de bebês
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Os perigos de usar anestésicos locais usados na dentição de bebês

Os perigos de usar anestésicos locais usados na dentição de bebês

19/06/2018
  9525   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Todo pai ou mãe de criança pequena sofreu ou sofrerá com seu filho a dor do aparecimento dos primeiros dentinhos. Por volta do sexto mês a criança inicia o processo de erupção dos dentinhos de leite, e junto vem o inchaço das gengivas, um aumento da salivação, uma febre baixa e dor demonstrada por uma irritabilidade. Nesta fase é comum os avós, tios, vizinhos e amigos darem palpites e soluções, que vão de analgésicos comuns, simpatias e até o uso de anestésicos locais com a lidocaína e benzocaína.

Os pais podem usar esses produtos para aliviar temporariamente a dor da dentição de uma criança, mas a agência americana FDA disse que eles representam um “sério risco” para bebês e crianças e muitas vezes não são eficazes, já que podem sair da boca rapidamente.

O perigo que os produtos representam pode vir na forma de metahemoglobinemia, uma condição na qual o nível de oxigênio no sangue diminui perigosamente baixo; pode ser fatal. Os sintomas incluem ritmo cardíaco acelerado, tontura, dificuldade respiratória, sonolência, dor de cabeça, pele pálida e unhas azuis ou cinzentas. Os sintomas podem começar minutos após o uso de um produto ou até uma a duas horas depois. Os bebês que tiverem esses problemas devem procurar atendimento médico imediatamente.

A FDA orientou as empresas que fabricam esses produtos pararem de vendê-los, ou tomará medidas regulatórias para retirar os produtos das lojas.

“Devido à falta de eficácia para a dentição e aos sérios problemas de segurança que vimos com produtos de saúde bucal de venda livre de benzocaína, a FDA está tomando medidas para interromper o uso desses produtos em crianças pequenas e aumentar a conscientização sobre os riscos associados com outros usos de produtos de saúde bucal benzocaína”, disse o comunicado. O FDA está empenhado em proteger o público americano de produtos que representam sérios riscos de segurança, especialmente aqueles sem benefício demonstrado

O FDA também exigirá que os anestésicos locais prescritos para crianças dentárias atualizem suas advertências na caixa do produto para que os pais saibam que eles também podem levar à metemoglobinemia.

Benzocaína produtos são vendidos como géis, sprays, pomadas, soluções sob as marcas aqui no Brasil também. Aqueles comercializados para adultos podem permanecer no mercado, mas podem precisar de novas informações sobre rótulos.

Algumas empresas que vendem e comercializam produtos para a dentição, disseram em comunicado que a segurança de seus clientes e de seus filhos é sua maior prioridade, e está imediatamente suspendendo a distribuição e venda dos produtos de dentição.

Além disso, estão revisando o Drug Facts Label em todos os produtos de cuidados com a saúde que contêm benzocaína com um uso pretendido que não seja a dentição para enfatizar que esses produtos não devem ser usados ​​para a dor da dentição ou em crianças menores de 2 anos de idade, também estão adicionando declarações de alerta para identificar mais claramente os riscos e sintomas apresentados pela metemoglobinemia, uma condição rara, mas grave, associada ao uso de benzocaína”.

Este não é o primeiro aviso sobre benzocaína da FDA. Em 2011, a agência alertou os consumidores sobre o potencial de metahemoglobinemia dos produtos. Na época, estimava-se que houvesse mais de 400 casos de metahemoglobinemia associada à benzocaína relatados à FDA ou publicados na literatura médica desde 1971. Existem provavelmente casos adicionais que não foram documentados.

Também não é o primeiro produto de dentição contra o qual a FDA advertiu. Em setembro de 2016, a agência alertou os pais para não usarem pastilhas e géis de dentição homeopáticos.

A Academia Americana de Pediatria disse aos pais para usarem alternativas como mordedores de borracha dura e evitar também os brinquedos congelados, pois eles podem ferir a boca de um bebê e causar mais dor. Isso sugere que os pais podem esfregar as gengivas de seus bebês para lhes dar alívio temporário.

Eu sempre lidei com isso como pediatra, e gastava um tempo advertindo contra os géis tópicos por causa do perigo, e os bebês. Se você olhar para o risco versus benefício, não é nem de longe tão útil. Esfregar um algodão molhado com água fria ou dar algo duro, como um mordedor, será uma ajuda muito maior.

Saiba mais sobre isso: .

https://institutopensi.org.br/blog-saude-infantil/os-primeiros-dentinhos/

https://institutopensi.org.br/blog-saude-infantil/as-duvidas-dos-pais-sobre-saude-bucal/

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: (CNN) A Administração de Alimentos e Drogas dos Estados Unidos (FDA) emitiu um aviso aos consumidores em 24 de maio para que parem de usar produtos de dentição vendidos sem receita médica que contenham benzocaína.

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade