PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Relação entre ftalatos e resistência à insulina
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Relação entre ftalatos e resistência à insulina

Relação entre ftalatos e resistência à insulina

28/10/2013
  442   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Os profissionais que se interessam por essa área contam com as mais diversas possibilidades de trabalho

ftalatos e resistência à insulina

Os ftalatos, assim como o bisfenol A (BPA) e outros compostos químicos, são considerados um desregulador endócrino, pois imita a ação de certos hormônios naturais do organismo e pode provocar uma série de complicações.

A resistência à insulina tem sido associada com diabetes e doenças cardiovasculares. Em alguns grupos de adolescentes, o aparecimento de produtos químicos chamados ftalatos na urina está associado a esse fato, conforme um estudo publicado na revista Pediatrics de setembro.

Em uma preocupação com o aumento da taxa de diabetes (e outros problemas do sistema endócrino) na juventude mundial em meio a estudos laboratoriais que sugerem a possibilidade de um papel para os ftalatos na resistência à insulina, os investigadores procuraram uma associação dessa ocorrência desse grupo de compostos químicos na urina dos adolescentes.

Eles revisaram os dados entre 2003-2008 NHANES (National Health and Nutrition Examination Survey) para 766 pessoas, de 12 a 19 anos de idade, e analisaram os resultados laboratoriais para os sinais de exposição de um ou mais de três produtos químicos particulares da família dos ftalatos na urina, como também a incidência de resistência à insulina. Além de analisar os dados do NHANES, a pesquisa também abordou etnia e estilo de vida dos adolescentes.

Os pesquisadores observaram que os níveis mais elevados de ftalatos (ou metabólitos de ftalatos) na urina de alguns subconjuntos dos participantes do estudo incluíam mulheres e adolescentes mexicano-americanos. Adolescentes de famílias de renda mais alta tiveram menores concentrações de uma determinada substância química chamada de LMW na urina. Outro produto químico, o DEHP, foi associado a um aumento da resistência à insulina em participantes do estudo.

A fonte significativa de exposição aos ftalatos são as embalagens plásticas de alimentos, embora as crianças e os adolescentes possam ser expostos por meio de outros bens de consumo também. Existem alternativas para plásticos contendo ftalato para alimentos, como o papel encerado e o papel alumínio.

Não se sabe se as crianças e adolescentes são resistentes à insulina por consumir alimentos com um maior conteúdo de ftalato, ou se as insulino-resistentes excretam mais DEHP na urina, mas os autores recomendam uma investigação adicional para determinar os efeitos do ftalato.

Como no caso do bisfenol, ainda vai ter algum tempo de polêmica sobre o assunto até termos dados que comprovem os pontos negativos.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Urinary Phthalates and Increased Insulin Resistance in Adolescents | Pediatrics

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade