PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Relato da Cinderela
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Relato da Cinderela

Relato da Cinderela

06/07/2016
  1862   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Esses dias eu estava num baile e tive que sair correndo quando deu meia noite. Na pressa, perdi um sapatinho de cristal e tenho andado de meia, desde então. Fui pedir ajuda por aí, porque todo mundo me diz que tenho que encontrar um príncipe que vai me entregar esse sapatinho, mas, por enquanto, nada de príncipe, nem sapato…

Mas, sabe que me aconteceu uma coisa incrível? Eu sou uma princesa, né? Não tenho super poderes, nem sei fazer mágicas, mas encontrei uma galera muito especial esses dias: o Peter Pan, a Sinão, o Senhor Incrível, a Alice do País das Maravilhas e a Chapeuzinho Vermelho!

Ah, eu fiquei tão feliz. Eles me levaram para o Castelo Sabará que é um prédio enorme, cheio de super-heróis, um mais forte que o outro e cada um muito especial. Lá eu conheci a Melani, uma moça com olhos de jabuticaba, que me lembrou uma amiga minha, a Bela Adormecida. A diferença é que a Melani não está à espera de um príncipe, não! Com ela eu aprendi que a gente mesma pode ser a nossa melhor companhia. Quando a gente visitou a Melani, cantamos, conversamos com ela e eu aprendi um novo idioma, porque ela não fala português, sabe? Ela fala uma língua só dela! Imaginem vocês, ter um idioma exclusivo?! Às vezes, a Chapeuzinho Vermelho perguntava alguma coisa e ela piscava para responder.

Eu fiquei muito, muito feliz e quando nos despedimos fiquei pensando que eu não quero mais esperar um príncipe encantado.  Eu quero é conhecer mais amigos, aprender um monte de coisas novas.

Eu conheci também um menino chamado Lucas que é um super-herói! Ele enfrenta desafios difíceis e entre os poderes dele, que são muitos, o que mais me chamou a atenção foi o poder da calma: eu estava ansiosa e ele nos convidou pra jogar Uno, depois de algumas partidas, eu estava tranquila e feliz! A imaginação dele é tão incrível que ele inventa um monte de heróis e vilões e faz uns bonequinhos de papel que são incríveis, eu até tirei umas fotos! Uma vez, quando nos despedimos, tinha aprendido outras coisas: a jogar Uno, a respirar bem fundo pra acalmar o coração e a imaginação dele me fez criar um monte de final de história diferente pra minha própria história!

Foi aí que num dos corredores nós encontramos as amigas enfermeiras e elas eram tão inteligentes e cuidadosas. Elas cuidam de um monte de super-heróis e estão sempre sorrindo! Algumas tiraram fotografias com a gente e, inspirada pela imaginação do Lucas, pensei que talvez minha história fique mais legal se eu não ficar mais esperando o príncipe: eu quero começar a estudar pra ser enfermeira quando eu crescer! Pelo caminho, fiz novos amigos e amigas que me emprestariam seus sapatos se eles coubessem no meu pé!

Ah, são tantas, tantas histórias… Cada uma especial…

Vou contando aos poucos, mas o que fica mais forte é essa felicidade de encontrar pessoas incríveis. Tenho muito orgulho dos meus amigos do Pronto Sorrir e já me sinto mais forte, mais sábia, acho que logo, logo também serei uma super-heroína, a Super Cinderela!

 

Cinderela (Jackeline Stefanski)

Jackeline Stefanski

Jackeline Stefanski

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade