PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Uso pré-natal de acetaminofeno associado ao risco de TDAH
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Uso pré-natal de acetaminofeno associado ao risco de TDAH

Uso pré-natal de acetaminofeno associado ao risco de TDAH

06/12/2017
  659   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Qualquer mulher que esteja grávida e tem alguma orientação, sabe que não deve tomar medicamentos sem orientação médica.

Um estudo publicado na revista Pediatrics de novembro de 2017 mostra que o uso prolongado de acetaminofeno ou paracetamol (Tylenol), comum para dor ou febre, durante a gravidez, associou-se ao dobro do risco de Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) em crianças. Ao mesmo tempo, o estudo norueguês “Exposição Prenatal ao Acetaminofeno e Risco de TDAH” descobriu que o uso pré-natal de acetaminofeno a curto prazo de uma semana ou menos foi associado a taxas reduzidas de TDAH.

O estudo não fornece evidências definitivas para ou contra uma relação causal entre o uso materno de acetaminofeno, que é a medicação recomendada para mulheres grávidas com febre ou dor e é usado por 65% a 70% das mulheres grávidas nos Estados Unidos. No Brasil, como usamos a dipirona e o ibuprofeno como analgésicos e antitérmicos, a porcentagem é menor.

Para o estudo, os pesquisadores examinaram dados de quase 113 mil crianças no Estudo de Mães e Crianças da Noruega (estudo de longo prazo), incluindo 2.250 com diagnóstico de TDAH. Os pesquisadores encontraram que o uso pré-natal de acetaminofeno por menos de 7 dias foi associado negativamente ao TDAH em crianças. Para uso com duração superior a 7 dias, o risco de crianças com diagnóstico de TDAH aumentou com o número de dias expostos; aqueles que tiveram 29 ou mais dias de exposição pré-natal ao paracetamol foram mais de duas vezes mais propensos a serem diagnosticados com TDAH. Os dados também mostraram que as crianças cujas mães tomaram acetaminofeno para febre e infecções por 22 a 28 dias foram seis vezes mais propensas a ter TDAH.

Como se pode ver pelos números, quanto maior for o número de dias que usar o acetaminofeno, maior a chance de ter TDAH. Portanto o uso eventual e não prolongado parece não oferecer maiores riscos.

No entanto, os autores dizem que a associação que eles encontraram exige um estudo mais aprofundado e uma consideração mais cautelosa sobre seu uso durante a gravidez.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Pediatrics November 2017

Prenatal Exposure to Acetaminophen and Risk of ADHD

Eivind Ystrom, Kristin Gustavson, Ragnhild Eek Brandlistuen, Gun Peggy Knudsen, Per Magnus, Ezra Susser, George Davey Smith, Camilla Stoltenberg, Pål Surén, Siri E. Håberg, Mady Hornig, W. Ian Lipkin, Hedvig Nordeng, Ted Reichborn-Kjennerud

 

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade