PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Xixi na cama? E agora?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Xixi na cama? E agora?

Xixi na cama? E agora?

08/03/2012
  700   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Até os 4 anos de idade o ato de urinar na cama é considerado normal

A enurese noturna ou o famoso “xixi na cama” é uma das chateações mais comuns da infância e acaba perturbando toda a família.

As crianças costumam controlar as aberturas para a passagem do xixi em torno dos 2 anos de idade, mas algumas delas o farão mais tarde, e se considera normal que até os 4 anos o pequeno tenha alguma perda urinária enquanto dorme.

A enurese noturna é mais comum nos meninos e acontece mais em algumas famílias. A causa geralmente se dá por uma bexiga menor ou por uma demora maior na maturação dos músculos dos esfíncteres da bexiga (que atuam na continência urinária) e, mais raramente pode estar associado a motivos emocionais.

O importante para os pais é saber que isso se resolve com o tempo e, na maioria das vezes, sem nenhum tipo de intervenção. As estatísticas nos mostram que há uma diminuição de casos de 15% ao ano após os 5 anos de idade.

As condutas mais comuns são as terapias motivacionais em que se oferece um prêmio pelo intervalo de dias que a criança não molha cama. Para funcionar, as regras devem ser bem estabelecidas antes de se iniciar o processo.

As terapias medicamentosas devem ser dadas pelo pediatra após a avaliação e discussão com os pais sobre as necessidades. O uso de alarmes não é comum no Brasil, mas muito usado e com sucesso nos EUA.

O importante é a família ter consciência que a criança não faz xixi na cama porque quer, mas por um problema, e deve-se evitar punir, ficar bravo, já que só irá prejudicar ainda mais o sentimento de culpa e piorar a autoestima da criança. Seja paciente e tente compreender seu filho e explicar para os familiares. Todos agindo em conjunto obterão um melhor resultado.

Em caso de dúvida, converse com seu pediatra.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: UpToDate

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • TATIANE DIAS disse:

    POR FAVOR GOSTARIA DE MAIS INFORMAÇÃO SOBRE O ASSUNTO, POIS MEU FILHO JÁ TEM 7ANOS E AINDA CONTINUA FAZENDO XIXI JÁ LEVEI AO UROLOGISTA MAS ELE SÓ ME FALA QUE TEM QUE ESPERAR ELE AMADURECER, SO QUE ESTA FICANDO MUITO RUIM O CHEIRO ESTA FICANDO FORTE, ELE NÃO PODE DORMIR NA CASA DE NINGUEM, NÃO SEI MAS O QUE FAZER.
    A MÉDICA ME FALOU QUE POR EU TER FEITO XIXI NA CAMA ATÉ OS 12ANOS ELE TAMBEM PODE FAZER,ELE FEZ UMA CIRURGIA DE IPOSPADIA AOS 3 ANOS,SÓ QUE ISSO ESTA PREJUDICANDO ELE, POIS ELE TEM PROBLEMA DE RENITE E POR FAZER XIXI ELE TEM MAIS CRISE POR CAUSA DO CHEIRO. POR FAVOR SE PUDER ME AJUDAR. OBRIGADO

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Tatiana, o urologista tem razão, mas se o problema está extrapolando, existem várias coisas que podem ser feitas, desde programa de incentivos, passando por alarmes e até uso de medicação. Aconselho que procure um pediatra que poderá indicar estes tratamentos ou avaliar também a necessidade de fazer uma avaliação psicológica. Obrigado.

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade