PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A importância da vacina contra Covid-19 para crianças
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A importância da vacina contra Covid-19 para crianças

A importância da vacina contra Covid-19 para crianças

17/12/2021
  324   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

É muito bom começar este texto informando que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou o uso da vacina Pfizer-BioNTech, contra covid-19, para crianças de 5 a 11 anos. No entanto, temos lidado com uma infinidade de desinformação circulando nas redes sociais, que geram muito medo na sociedade, que já está fragilizada devido aos diversos problemas causados pela pandemia de Covid-19. Desse modo, torna-se cada vez mais necessário buscarmos uma maior conexão com as pessoas e compartilharmos informações de forma simples, para que todos possam compreender a importância do conhecimento médico-científico para nossas vidas.

Embora a Anvisa tenha dado essa autorização agora em dezembro, no final de outubro deste ano, a FDA (agência americana semelhante à Anvisa) autorizou a aplicação da vacina da Pfizer contra covid-19 em crianças de 5 a 11 anos e já temos milhões de crianças imunizadas com essa vacina que, segundo a Pfizer, apresentava proteção acima de 90%, além de ser extremamente segura. Outra informação importante é que a vacina está sendo testada em crianças a partir dos 6 meses de idade.

Você que está lendo este texto, provavelmente deve ter lido em outro lugar que não precisaria vacinar esses grupos, pois a Covid-19, segundo muitos desinformadores, mata poucas crianças e adolescentes. Para esta declaração, muitos citam percentuais de óbitos, dizendo que o percentual de mortes em crianças e adolescentes é menor que 1%, o que para algumas pessoas é pouco. Pois bem, se falarmos em porcentagem, levando em consideração que perdemos mais de 600 mil vidas por causa da Covid-19, alguém pode dizer que as mortes de 4 a 5 mil crianças e adolescentes pela Covid-19 no Brasil são poucas. No entanto, se levarmos em consideração qualquer outra doença, esse número é muito alto, pois nenhuma outra doença infecciosa mata mais crianças do que a Covid-19. Em outras palavras, não podemos banalizar a vida!

Um dado que merece destaque é que, segundo informações divulgadas pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) (https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/atencao-crianca/covid-19-e-saude-da-crianca-e-do-adolescente-segunda-edicao/), quase metade das crianças e adolescentes mortos pela covid-19 em 2020 tinham até 2 anos de idade. Assim, a vacinação nesta fase da vida também é importante, pois é um período em que o sistema imunológico está em processo de desenvolvimento e maturação. Falando em sistema imunológico, quero brincar um pouco de imunologia, para que possamos entender ainda mais os motivos da vacinação de crianças. Quando a criança nasce de mães vacinadas com a vacina da covid-19, os bebês trazem em sua circulação os famosos anticorpos IgG, que são passados pelo cordão umbilical. Depois que nascem, quando os nossos pequenos estão sendo alimentados com leite materno, a mãe passa outro anticorpo muito importante chamado IgA, que é fundamental no combate a infecções respiratórias, como a infecção por coronavírus, por exemplo. Embora sejam muito importantes no início da vida, esses anticorpos, passados de mães para filhos têm “vida curta”. Portanto, precisamos vacinar as crianças para que produzam seus próprios anticorpos, além de estimular todos os componentes do sistema imunológico para se protegerem da Covid-19.

Outro ponto importante a ser destacado é que em 2020 e grande parte de 2021, as crianças e adolescentes não tinham aulas presenciais ou podiam frequentar creches. Assim, imaginem o quanto as crianças e adolescentes poderão sofrer com o retorno às aulas 100% presencial, sem proteção adequada, como a conferida pela vacinação?

Por fim, gostaria de enfatizar que, embora a Anvisa já tenha licenciado a vacina da Pfizer para aplicação em crianças de 5 a 11 anos, ainda é preciso aguardar a disponibilização da vacina para esse grupo, pois a dose dessa vacina é 3 vezes menor do que a dose aplicada em adultos, além disso, a composição é diferente. Mas, assim que a vacina estiver disponível, vamos levar nossos pequeninos para a vacinação e protegê-los ainda mais.

 

Dr. Gustavo Cabral de Miranda
Assessor Científico do Instituto PENSI

Comunicação PENSI

Comunicação PENSI

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade