PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Dados brasileiros sobre Covid-19 em crianças. Porque devemos vacinar
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Dados brasileiros sobre Covid-19 em crianças. Porque devemos vacinar

Dados brasileiros sobre Covid-19 em crianças. Porque devemos vacinar

17/12/2021
  413   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

A autorização da Anvisa do uso da vacina da Pfizer contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos de idade no Brasil — em dosagem menor que aquela utilizada por maiores de 12 anos — é um passo extremamente importante no combate à pandemia.

O Ministério da Saúde divulgou em outubro um levantamento que mostrou que, entre janeiro e julho de 2021, 15.483 crianças de 0 a 9 anos foram internadas por Covid-19 no Sistema Único de Saúde (SUS). Em 2020, de abril a dezembro, foram 10.352 internações na mesma faixa etária. Há diferentes indícios estatísticos de que as crianças e os adolescentes estão sofrendo mais agora com a doença do que em outros momentos da pandemia.

Um outro recorte com base nos boletins epidemiológicos do próprio ministério, mostrou que o número de internações, até meio de setembro, por Covid-19 de crianças e adolescentes entre 0 e 19 anos no Brasil em 2021 foi de 17.300 – um aumento de 18% em relação às 14.640 internações de 2020. É sempre importante lembrar que o número ainda é relativamente pequeno quando se compara com adultos. Para pessoas acima dos 20 anos, já foram mais de 1 milhão de internações neste ano, contra 580 mil internações em 2020.

Segundo este mesmo levantamento, em 2020 foram 1203 morte de crianças menores até 18 anos completos, sendo 52 até cinco anos e 641 de 5 a 18 anos. Este ano, até meados de setembro, foram 1245 mortes sendo 541 menores de cinco anos e 704 de crianças entre 5 e 1 anos.

A vacinação de adolescentes maiores de 12 anos já está sendo feita no Brasil desde junho de 2021. São mais de 20 milhões de adolescentes entre 12 e 17 anos que devem receber as duas doses até o final deste ano.

Depois de analisarem todas as evidências, os norte-americanos e as entidades de outros países concluíram que o risco assumido quando uma criança se infecta pelo vírus é maior do que o de ela ter eventos adversos relevantes e iniciaram a vacinação de crianças a partir de 5 anos. Se nos Estados Unidos o benefício supera o risco, imagine aqui, como mostramos acima onde a probabilidade de morrer ao contrair Covid-19 é muito maior do que lá.

“Nos outros países, há muito menos mortes e hospitalizações infantis do que aqui, então entendemos que é um instrumento especialmente benéfico para nós”, compara o infectologista Marco Aurélio Sáfadi, presidente do Departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e médico responsável pela Infectologia do Sabará Hospital Infantil.

Torcemos para que a ANVISA aprove logo a vacinação para crianças a partir de 5 anos e que o Plano Nacional de Imunizações (PNI) as inclua no seu público alvo e que os pais fiquem tranquilos em dar esta vacina em seus filhos para protegerem desta doença que ainda trás tanta dor para tantas famílias.

Saiba mais:

 

 

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade