PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A remoção das adenoides
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A remoção das adenoides

A remoção das adenoides

03/10/2012
  13786   
  15
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Tomar decisões sobre a saúde do seu filho pode ser difícil. Esse assunto é particularmente verdadeiro com relação aos procedimentos cirúrgicos, não importa quão seguros ou de rotina eles possam ser. A remoção das adenoides é um exemplo frequente em que o médico faz uma recomendação e os pais tomam a decisão final. Para ajudá-los, é importante que haja informação sobre o que são elas, o que acontece durante a remoção e quais os benefícios para a criança.

As adenoides são feitas de tecido linfático, tipo presente em todo o trato gastrointestinal. Elas têm um pequeno papel na promoção da imunidade, embora as crianças, normalmente, sejam donas de outros órgãos para apoiar o sistema imunológico. Elas são encontradas na parte posterior do nariz, em um lugar chamado faringe nasal. É difícil vê-las sem equipamento especial, de modo que não podem ser examinadas por pediatras gerais. Dessa forma, quando discuto sobre o procedimento cirúrgico com os pais, esclareço todas as dúvidas que eles possuem sobre o assunto.

Pode ser difícil ver a ligação entre as adenoides e os sintomas na criança. A remoção delas é recomendada com frequência nos pacientes que têm drenagem no nariz crônica ou sinusite, dor de ouvido crônica, ou problemas respiratórios como apneia do sono. Quando elas estão inchadas ou infectadas, a respiração normal pode ser inibida e fazer com que as crianças respirem pela boca. Há também a possibilidade de bloqueio na drenagem nasal natural que acarreta em infecções dos seios nasais.

Leia também: Seu filho é um respirador oral?

Além disso, se as adenoides que se encontram em uma situação mais preocupante não forem removidas, elas podem abrigar uma infecção e os biofilmes, ou áreas de crescimento de bactérias, podem reduzir a eficácia de antibióticos.

Uma vez que você se sentir confortável com o que são as adenoides e os benefícios da remoção, o próximo passo para muitos pais é tomar a decisão com relação à adenoidectomia, procedimento cirúrgico que precisa ser compreendido. Para as crianças mais saudáveis é preciso a internação por algumas horas, anestesia e um tubo de respiração.

Na maioria das vezes, as crianças ficam muito bem após a retirada das adenoides, tendo apenas que usar um analgésico ou anti-inflamatório para reduzir a dor por alguns dias. Devido à localização da cirurgia, a ferida que fica pode levar algumas semanas para cicatrizar completamente.

Se uma criança muito jovem for submetida à remoção da adenoide, há uma chance de que os sintomas relacionados com as que estão infectadas ou inchadas retornem, mas só quando voltarem a crescer.

Quase sempre, eu digo às famílias que a remoção da adenoide é uma opção que poderá melhorar a qualidade de vida da criança e diminuir as infecções. Raramente, esses casos se dão por conta de uma necessidade. Ao mesmo tempo em que há poucos efeitos colaterais, são raras as ocasiões em que a remoção pode ser prejudicial – por exemplo, para as crianças que têm condições pré-existentes, tais como fenda palatina ou Síndrome de Down.

Os pais das crianças são os mais preocupados com relação à anestesia e os tubos traqueais, por isso eles precisam compreender a adenoidectomia. Hoje, no entanto, estamos cientes com relação ao uso de anestesia em crianças pequenas e os riscos se tornaram menores no procedimento.

Leia também: Anestesia em criança: o que é importante saber?

Como pediatra, observo que as famílias geralmente ficam muito satisfeitas ao optarem pela remoção da adenoide nas crianças. Os pais que decidirem contra a cirurgia podem sempre rever essa posição em uma data posterior. Trata-se de uma escolha que, na maioria dos casos, é importante aceitá-la para fazer o melhor para você e para a saúde infantil.

Fonte: Dr. David Brown, an ear, nose and throat specialist at C.S. Mott Children’s Hospital, to fill us in on the procedure and why it is recommended for some children.

Atualizado em 2 de abril de 2024

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

(CRM-SP 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com especialização na Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Gestão na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás, David e Benjamim.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • Tatiana disse:

    Nada a declarar

  • karina disse:

    Meu bebe tem tresmeses gostaria de saber o que posso fazer para que o nariz dele fique menos cogestionado por causa da adenoide?

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Karina, tudo bem? Obrigado pela confiança! Como você leu em nosso artigo, a remoção das adenoides em crianças tão jovens não exclui a possibilidade do problema voltar mais tarde. Sugerimos que você converse com seu pediatra e peça orientações. Abraços! 🙂

  • janiagrasiele disse:

    Meu filho tem 4 anos e tem sinusites recorrentes ,no início do ano teve princípio de pneumonia por causa da sinusite ,e agora o ouvido inflamou também por causa da sinusite ,sendo que ele nunca teve infecção de ouvido então o pediatra disse que eu deveria procurar o otorrino ,então foi o que eu fiz e descobrimos que ele tem 80% de obstrução ,nós optamos pela cirurgia porque ele já faz uso de corticoide para rinite e ñ era pra ter essa sinusite. Temos esperança de que é o melhor a fazer !

  • Vanety disse:

    Olá, meu filho tem 4 anos, e tem problemas com a adenoide aumentada. Frequentemente tem sinusite. Quando o problema ataca, ele ronca e dorme com a boca aberta. Mas, quando passa a crise, ele respira normalmente e dorme com a boca fechada. Já passamos por dois médicos otorrinos que indicaram a cirurgia. Tenho muito medo com relação à anestesia. Será que é mesmo necessária, ou devemos esperar um pouco mais?

    • Equipe Sabará disse:

      Vanety,
      Acredito que pelos sintomas e pela orientação dos médicos, deve ser o caso de necessitar a cirurgia. Em relação à anestesia, desde que feita com profissionais preparados e em centro médicos equipados, o risco é muito baixo por ser uma cirrurgia rápida e sem maior complexidade. Em geral a criança fica entre 5 e 6 horas no hospital.
      Abraços

  • marta ferreira dos santos disse:

    Minha filha fez a retirada das amidalas e das adenoides há oito meses,no entanto nos dois primeiros meses após a cirurgia ela ficou bem melhor,após os dois primeiros meses o estado dela piorou .Ela dorme sentada para facilitar a respiração,a alergia atacou ainda mais e só fazendo inalação todos os dias para dar uma melhorada.Há possibilidade de ser uma cirurgia mal feita?

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Marta, sem conhecer o quadro clínico e resultado de sua cirúrgia não temos como informar. Solicitamos que retorne ao médico e relate os problemas que vem encontrado ou então busque uma segunda opinião de um especialista. Abraços

  • Catiane lettrari disse:

    Olá, meu filho tem 8 anos, operou adenóide e retirou líquido dos ouvidos á 1 ano,não foi colocado o duto de ventilação, ocorreu tudo bem, e melhorou muito, porque todo mês tinha que tomar antibióticos por causa das infecções do ouvido…Mas de uns tempos pra cá, teve uma infecção, e começou a se queixar que fazia um barulho no ouvido, levei ao otorrino, fiz exames e descobriram que o líquido no ouvido voltou, e o médico acha que só pode ter voltado a adenóide, porque so a adenóide faz criar esse líquido. Disse que tem que operar novamente, e desta vez por o duto, queria saber se isso pode realmente acontecer do problema voltar, sendo que ele fez já grandinho com 7 anos..?? E tbém queria saber se é só a adenóide que cria esse líquido no ouvido..? se puderem me ajudar agradeço muito…Obrigada…

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Catiane, sem conhecer o quadro clínico do seu pequeno não temos como informar. Recomendamos que busque uma consulta com o especialista para que ele possa informar com precisão todos os cuidados que você deve tomar com seu pequeno.

  • vanubia de Oliveira disse:

    Olá meu filho fez acompanhamento com um médico por um ano, sobre adenoide tomou medicamentos um ano inteiro e nada agora mudei de otorrino e ele quer opera-ló o mais depressa possível já que meu filho está com 90 por cento obstruido, terria sido desleixo do primeiro médico? Já que ele nem chegou a fazer um exame mais detalhado? Ou seria receio de operar meu filho pois ele ainda fará 3anos?

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Vanubia, não acredito em desleixo do outro médico, mas sim numa opção por uma conduta mais conservadora. Dependendo da idade de seu filho pode ser a melhor opção. Recomendamos que procure um pediatra que confie e que possa te orientar melhor do que um otorrino, por ser menos parcial.
      Desejamos melhoras ao seu pequeno.
      Abraços!

  • Suzana disse:

    Minha sobrinha tem 5 anos,a noite quando dorme com a boca aberta ronca muito e não respira pelo nariz.A levamos em uma médica otorrino e foi constatado que ela tem uma espécie de”carne esponjosa” ADENOIDE no orifício nazal, segundo a médica hoje em dia não se faz logo uma cirurgia e sim durante 02 meses a criança terá que usar NASONEX uma vez ao dia que provavelmente isso irá diminuir e até sumir. Caso isso não aconteça aí sim terá que ir para cirurgia. O que vocês acham? Realmente existe esse tipo de diagnóstico e “tratamento”??

    • Equipe Sabará disse:

      Oi, Suzana. Provavelmente sua sobrinha deve ter um quadro alérgico e por isto o tratamento clínico é o melhor indicado.Os pais da criança devem seguir a orientação do médico de confiança deles​.

      Atenciosamente,
      Equipe Hospital Infantil Sabará

  • Marco Gomes disse:

    Excelente blog, parabéns…Passamos por um grande estresse, só que foram 2 cirurgias em nossa filhinha. Adenoidectomia com 2,5 anos e apenas 5 meses depois teve que se submeter à amigdalotomia, devido a tantas apneias que apresentava conforme mostro em videos em meu blog http://amigdalaseadenoides.blogspot.com.br/
    Obrigado por ajudar, pois há diversos pais aflitos neste momento com os mesmos problemas. Um abraço e fique com Deus.

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.