PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A cada 8 minutos, uma criança toma medicação errada
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A cada 8 minutos, uma criança toma medicação errada

A cada 8 minutos, uma criança toma medicação errada

11/11/2014
  504   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

medicação

Erros de medicação envolvendo crianças representam um problema de saúde pública que ocorrem com frequência, mas pesquisas anteriores têm lutado para descrever completamente o escopo do problema. Mais de 200 mil casos fora do hospital de erros de medicação são relatados nos EUA por ano, e cerca de 30% destes casos envolvem crianças menores de 6 anos de idade.

De acordo com um estudo publicado na edição de novembro 2014 da Pediatrics, a maioria dos erros de medicação envolvidos líquidos formulações (81,9%), seguido de comprimidos / cápsulas / comprimidos (14,9%).

O número e a taxa de erros de medicação aumentaram com a diminuição da idade, sendo que as crianças menores de 1 ano de idade são responsáveis por por mais de um quarto dos episódios. A ingestão foi responsável por 96,2% de eventos, e 27% de todos os erros foram atribuídos a tomar inadvertidamente ou sendo dada medicação mais do que uma vez. Durante o período de estudo de 11 anos, erros com medicação para tosse e resfriado diminuiu significativamente, enquanto que a taxa de outras medicações aumentou para todas as idades. A maioria dos casos (94,1%) não necessitaram de tratamento médico, mas 25 crianças morreram como resultado de erros de medicação fora do hospital.

Os autores do estudo concluem que estes erros de medicação representa um grande problema de saúde pública, e são necessários esforços suplementares, usando estratégias comprovadas para evitar esses eventos. De acordo com os autores do estudo, a embalagem do produto tem de ser redesenhada para fornecer dispositivos de dosagem e instruções precisas, e uma melhor rotulagem para aumentar a visibilidade para os pais.

Este é mais um dos muitos artigos que eu já escrevi sobre este assunto, e nossa função e salientar a importância de consultar um pediatra antes de dar qualquer medicação para seu filho. Quando for dar, prestar atenção na dose, no horário e como dar este remédio. Evite a automedicação e mantenha as medicações fora do alcance das crianças.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal
Fonte: Article: “Out-of-Hospital Medication Errors Among Young Children in the United States, 2002–2012” Pediatrics nov. 2014

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o atendimento médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade