PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A importância da educação física na escola
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A importância da educação física na escola

A importância da educação física na escola

25/04/2013
  15139   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

A atividade física contribui para o desenvolvimento infantil e conscientiza a criança sobre o meio em que vive

Educação Física para Crianças

A educação física é vista nas escolas como uma disciplina complementar menos importante que o português, matemática, história e geografia. Isso é verdade? Será que a educação física é apenas um momento de brincadeiras, jogos e diversão? Será que essa disciplina não pode acrescentar em nada no desenvolvimento da criança e do adolescente?

Os jogos, os esportes, as danças, as lutas e as diversas formas de ginástica estão presentes na nossa cultura. Influenciam o comportamento, transmitem valores, fazem parte do dia a dia das pessoas. A vivência dessas modalidades na escola possibilita ao aluno compreender, participar e modificar a realidade onde vive.

A educação física escolar é rica de informações motoras, sensoriais e culturais. É por meio dela que a criança entra no mundo dos jogos e dos esportes. Ela aprende a respeitar e valorizar o outro. Convive com regras. Descobre o significado da vitória e também da derrota. Desperta seu interesse pela vida saudável. Interage. Vivencia o trabalho em equipe. Pratica a liderança. Por meio da exploração motora a criança desenvolve consciência do mundo que a cerca e de si própria.

Segundo o doutor em Desenvolvimento Humano e Educação Especial, David Gallahue, “a escola é o único lugar em que nós podemos garantir que todas as crianças terão um tempo dedicado à instrução. E as aulas de educação física na escola são diferentes do simples ato de brincar no quintal de casa, pois são instrutivas. Ensinam como as crianças podem mover o corpo. É o único lugar onde elas são instruídas o tempo inteiro. O ideal seria que os alunos tivessem mais do que apenas uma ou duas aulas de educação física na escola por semana. Isso faria com que eles se mexessem mais e o exercício físico se tornaria parte da vida deles. O professor de educação física é uma pessoa extremamente importante na comunidade escolar”.

Na fase pré-escolar a prioridade é a atividade motora global, concentrando-se na necessidade fundamental de movimento, de investigação e de expressão. A riqueza de habilidades motoras da criança depende do desenvolvimento neuromuscular. Contudo, a aprendizagem também exerce influência sobre certas habilidades motoras como falar, escrever, abotoar, pentear, empilhar, encaixar, amarrar os sapatos, entre tantas outras.

Nas escolas de educação infantil é comum apresentarem a disciplina de Psicomotricidade como substituta da educação física. São atividades diferenciadas, onde a primeira atua como interventora e estimuladora do sistema psico, neuro e motor, enquanto a segunda como uma disciplina formativa da criança. Isso não impede que as aulas de educação física sejam repletas de conceitos e técnicas psicomotoras.

O importante para os pais é perceberem que a participação nas aulas de educação física traz uma série de benefícios para as crianças. Ela é fundamental para um maior desenvolvimento dos pequenos. Oferecer à criança a oportunidade de mover-se, usando da sua criatividade, significa estabelecer experiências que propiciarão o desenvolvimento motor fundamentais por meio de padrões básicos de movimentos.

Assim sendo, antes de pensar em arrumar um atestado médico para que seu filho não participe das aulas de educação física porque “não gosta”, tente explicar a ele a importância dessa disciplina, bem como os benefícios que ela transmite para a vida futura!

assinatura-maria

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade