PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Acompanhamento de prematuros
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Acompanhamento de prematuros

Acompanhamento de prematuros

08/05/2012
  540   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Estudo mostra que assistência neonatal contribui para a sobrevivência de bebês nascidos com baixo peso

Com o desenvolvimento da medicina neonatal, estamos conseguindo manter vivas crianças com prematuridade extrema e só o acompanhamento desses casos poderão nos dizer o valor dessas conquistas.

Os bebês nascidos com baixo peso extremo (menos de 400 gramas), são considerados de alto risco e maior probabilidade de sofrer resultados desfavoráveis, do que os prematuros com um peso maior. No relato de caso “Long-term Follow-up of 2 Newborns With a Combined Birth Weight of 540 grams”, publicado na Pediatrics, em janeiro de 2012 (postado on-line em 12 de dezembro de 2011), os pesquisadores mostram resultados animadores de dois casos de desenvolvimento normal de bebês (o menor e o terceiro menor do mundo), agora, com 5 e 20 anos de idade, respectivamente, ambos nascidos na Loyola University Medical Center, em Illinois.

Madeline nasceu em 1989 com 26 semanas de gestação, pesando 280 gramas, e Rumaisa nasceu em 2004, com 25 semanas de gestação e um peso de 260 gramas, o mais baixo já documentado no mundo. Ambos os bebês são normais em quesitos avaliados como desenvolvimento motor e da linguagem até os 3 anos de idade e marcos de desenvolvimento foram alcançados em níveis de idade apropriada. Isso não é regra nem para prematuros maiores.

Os autores do estudo consideram que os avanços na assistência neonatal continuarão a permitir a reanimação e a sobrevivência de recém-nascidos cada vez menores, mas as questões éticas, médicas e econômicas continuarão a ser discutidas.

Por Dr José Luiz Setúbal

Fonte: “Long-term Follow-up of 2 Newborns With a Combined Birth Weight of 540 grams”, in the January 2012 Pediatrics (published online Dec. 12, 2011)

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • Carina Clair Calesso Menezes Clemente disse:

    Olá profissionais do H. SABARÁ!
    Lendo sobre os partos de pré-maturo, pensei em pedir uma orientação a respeito de uma “novidade” na minha gestação.
    Ontem, quando fazia minha ultra morfológica de 2º trimestre, descobrimos que minha bebê, tem uma única artéria (AUU), mas que graças a DEUS seu desenvolvimento está muito bom, seu peso, tamanho, etc., gostaria muito de saber mais sobre o assunto quais as melhores condutas a serem adotadas, se no hospital que terei minha bebê estão preparados para fazer os exames neo natais necessários, ela nascerá no Hospital Vitória Jd. Anália Franco, ou se devo levá-la ainda nos primeiros dias aí no SABARÁ para os exames. Gostaria muito de sua ajuda para ficar mais tranquila.
    Grata!
    Carina

    • Equipe Sabará disse:

      Carina, este é um problema de ma formação, é comum e não deve ter problemas no parto nem no nascimento.
      Fique tranquila.

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade