PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Adolescentes e namoros violentos
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Adolescentes e namoros violentos

Adolescentes e namoros violentos

06/03/2013
  476   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Esse tipo de relacionamento pode ocasionar quadro de vícios destrutivos e influenciar a vida adulta

adolescência e namoro violento

Os adolescentes de hoje estão mais propensos a terem relacionamentos mais íntimos e mais violentos. Sempre existe uma preocupação por parte dos pais em relação a este tema e, muitas vezes, os adultos são taxados de retrógrados e de antiquados por não compreenderem bem esta nova geração.

De acordo com um estudo publicado em janeiro de 2013, os adolescentes vítimas de violência no namoro são mais propensos a experimentar comportamentos de saúde com resultados adversos na idade adulta.

O estudo, Longitudinal Associations Between Teen Dating Violence Victimization and Adverse Health Outcomes, fez a pesquisa com 5.681 mil adolescentes, de 12 a 18, no período de 1994-2002, como parte do Estudo Nacional Longitudinal de Saúde do Adolescente.

Comparados aos adolescentes que relataram que não tiveram nenhuma violência no namoro, as meninas que foram vítimas de um relacionamento com violência estavam mais propensas a se envolver com fumo e álcool em grandes quantidades, tinham sintomas de depressão e pensamentos de suicídio nos cinco anos após o namoro.

Já os meninos adolescentes vítimas de namoradas, relataram o aumento de comportamentos antissociais, pensamentos suicidas e eram mais propensos a usar maconha nos cinco anos após o relacionamento.

Os adolescentes que tiveram namoros agressivos possuem duas a três vezes mais probabilidade de terem novamente um relacionamento violento na fase adulta, comparados aqueles que não experimentaram a violência no namoro durante a adolescência.

É evidente que experiências como esta, realizadas em ambientes adversos ao nosso, pode ter outros resultados. De qualquer forma, serve como apoio para conversas com nossos adolescentes.

Por Dr. Jose Luiz Setúbal
Fonte: Longitudinal Associations Between Teen Dating Violence Victimization and Adverse Health Outcomes | National Longitudinal Study of Adolescent Health.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade