PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
As práticas pediátricas para melhorar o apoio à amamentação
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
As práticas pediátricas para melhorar o apoio à amamentação

As práticas pediátricas para melhorar o apoio à amamentação

10/05/2017
  2079   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Os benefícios médicos, emocionais e econômicos da amamentação são significativos e reconhecidos por um número crescente de organizações médicas, bem como hospitais que foram designados como “Baby Friendly” por causa de práticas que apoiam a amamentação ideal.

A Academia Americana de Pediatria (AAP) – que recomenda a amamentação exclusiva para os primeiros seis meses do bebê – apoia esses esforços.

Em um novo relatório clínico publicado na edição de maio de 2017 da revista Pediatrics, a AAP está publicando novas recomendações para ajudar os pediatras a fazerem seus ajustes de escritório o mais favorável possível às mães que amamentam.

O relatório, intitulado ” The Breastfeeding-Friendly Pediatric Office Practice “, recomenda que os pediatras desenvolvam uma política de escritório que incentiva a amamentação através de vários meios, incluindo o fornecimento de uma sala de lactação com suprimentos para funcionários e pacientes que amamentam.

O relatório recomenda que uma política de escritório seja desenvolvida para esboçar as etapas sobre como apoiar o aleitamento materno, incluindo a formação do pessoal sobre como fornecer ajuda e recursos aos pacientes. O relatório recomenda que a amamentação seja permitida e encorajada em salas de espera e que quaisquer outras barreiras à amamentação sejam removidas.

Os benefícios da amamentação incluem redução do risco de infecções respiratórias inferiores, gastroenterite e otite média. A amamentação também reduz os riscos de síndrome da morte infantil súbita, obesidade, asma, certos cânceres infantis, diabetes e morte pós-neonatal.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Pediatrics – April 2017

Celiac Disease and Anorexia Nervosa—An Association Well Worth Considering

Neville H. Golden, K.T. Park

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade