PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Os bebês no consultório do dentista
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Os bebês no consultório do dentista

Os bebês no consultório do dentista

07/08/2014
  2003   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

“Quando um bebê nasce, nos trás a mensagem de que Deus não perdeu a esperança nos homens”. Essa frase do indiano Rabindranath Tagore, ganhador do Prêmio Nobel de Literatura, nos mostra como essas criaturinhas são importantes em nossas vidas. Por isso devotamos tanto de nosso tempo para cuidarmos desses seres tão frágeis, mas que tratados com carinho e amor vão se desenvolver e alegrarão nossas vidas para sempre.

E outra coisa, pode existir coisa mais fofa no mundo do que um bebê? Claro que pode, mas eu ainda não descobri. Quando aparecem os primeiros dentinhos e com eles os sorrisos… Nossa, haja filmadora e fotografias. São momentos inesquecíveis e que se eternizarão em nossas mentes e corações.

Mas cuidar de bebês não é fácil, quem dera eles já viessem com manuais. E imaginem, se até os manuais de celular são difíceis, o que diria um manual do nosso filhote? Claro que é uma brincadeira. A criação dos filhos passa por momentos complicados, mas que aos poucos os pais vão se aperfeiçoando e aprendendo com as próprias crianças, seja no primeiro ou no oitavo filho, como foi o caso da minha avó. Nos dias de hoje isso é bastante incomum, apesar de conhecer um casal de dentistas que há poucos anos completou doze filhos. Fico só imaginando como deve ser na hora de tomar banho, escovar os dentes e fio dental, ah, aí eu nem imagino.

Com um ou com muitos filhos, as preocupações que aparecem são sempre em grande número, infelizmente os cuidados da saúde bucal, muitas vezes passam despercebidos nos bebês. Ou porque os pais não dão importância mesmo ou porque, na maioria das vezes, desconhecem que os bebês podem ter problemas bucais na mais tenra idade.

Certo dia recebi um bebezinho no consultório, ele havia acabado de completar um aninho. A mãe, mocinha nova, estava preocupada com a gengiva vermelha e com aqueles dentes amarelos que não cresciam direito e que estavam esquisitos. Bastaram-me três minutos de avaliação, não era preciso mais, o diagnóstico que dei, hoje admito, foi assustador: os dentes estavam com cárie aguda (cárie de mamadeira)  e necessitavam de quatro tratamentos de canal e quatro reconstruções totais. Simples e chocante assim. A mãe não podia acreditar no que estava ouvindo, aquele seu lindo bebê teria que tratar canal e colocar coroas nos dentes. Bem, não preciso dizer que ela quase me fulminou com o olhar, como se tivesse recebido a notícia de uma doença grave. Não é, mas realmente abala qualquer pai ou mãe.

Infelizmente essa situação tem ocorrido com certa frequência nos consultórios de dentistas, principalmente de odontopediatras. A ingenuidade dos pais, a falta de orientações do pediatra, essa vida atribulada que levamos, são apenas alguns dos fatores que levam a isso. A mamadeira açucarada é outro.

O tratamento desses bebês, entretanto, não é uma situação corriqueira. Muitos dentistas não são habilitados, e nem gostam, de tratar de crianças, quanto mais de pequenininhos assim. O tratamento em si também não é fácil, porque por mais simples que seja o procedimento a ser desenvolvido, uma simples avaliação, por exemplo, pode fazer o bebê chorar. Por isso pais, muita calma nessa hora.

Às vezes é preciso usar um lençol pediátrico para a contenção do bebê, e alguns pais acham um escândalo fazer esse procedimento. Em outras situações, o colo dos pais pode ser uma alternativa, nem sempre confortável para ambos. Em casos mais agudos pode ser necessária à intervenção em ambiente hospitalar, sob sedação. Todas as situações, sem exceção, são estressantes para os desavisados e principalmente para os descuidados.

Mas esse problema, aparentemente assustador, não é o fim do mundo, nada comparado a uma doença grave ou um acidente de proporções maiores. Problemas bucais em crianças, com raríssimas exceções, se resumem em cáries rampantes. E são de simples solução, se avaliados e discutidos com o dentista.

Então ficamos assim: a melhor forma de protegermos nossos bebês é mantermos uma dieta adequada, sem açúcares em abundância, controle da higiene bucal do bebê, visitas precoces ao dentista para avaliação e procedimentos de prevenção. Depois disso é só correr para o abraço e beijos que virão em profusão.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade