PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Craniostenose: diagnóstico e o desenvolvimento da criança
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Craniostenose: diagnóstico e o desenvolvimento da criança

Craniostenose: diagnóstico e o desenvolvimento da criança

07/01/2016
  32817   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

bebe

Uma em cada 2 mil crianças são diagnosticadas com cranioestenose em todo o mundo. Esta é uma deformidade progressiva da cabeça do bebê que se dá pelo fechamento precoce de uma ou mais suturas cranianas – articulações fibrosas que estabelecem ligações entre os ossos desta região. Suas causas podem estar associadas a fatores genéticos e às condições da gestação.

 

Assim como para a maioria das doenças, a descoberta precoce pode determinar a ausência de sequelas neurológicas e ainda impactar na qualidade de vida da criança acometida. “O diagnóstico da cranioestenose é feito logo após o nascimento, nos primeiros meses de vida. A tomografia de crânio com reconstrução 3D mostra a sutura precocemente fechada”.

A assimetria craniana ou os formatos anormais da cabeça, que pioram com o passar dos meses, são os principais sinais indicadores do problema. Ao contrário do que se pensa, a cranioestenose não causa retardo mental. Porém, pode estar associada a algum tipo de síndrome como as síndromes de Apert e Crouzon. A maior parte dos casos não são sindrômicos e sim deformidades pelo fechamento de apenas uma sutura que provocam formatos específicos da cabeça acometida: Trigonocefalia (sutura metópica), Plagiocefalia anterior (sutura coronal unilateral) e Escafocefalia (sutura sagital).

O tratamento dos casos é exclusivamente cirúrgico, o que deixa os pais preocupados, já que a ideia de uma cirurgia na cabeça dos filhos assusta. A criança não operada pode não atingir o máximo de inteligência que seria possível para seu cérebro e em casos específicos apresentar alterações visuais por deformidade das órbitas, por isso é tão importante aderir à recomendação e planejamento cirúrgico do médico que acompanha”.

O Centro de Diagnóstico por Imagem do Hospital Infantil Sabará é especializado e exclusivamente pediátrico. Todos os equipamentos são calibrados de forma segura e expõem os pequenos pacientes a quantidades mínimas de radiação garantindo precisão de resultados. Atualmente a estrutura do Centro conta com aparelhos modernos para exames de radiografia, ultrassonografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética, todos operados por técnicos treinados para atendimento infantil.

A equipe de radiologistas é altamente qualificada e especializada em pediatria. Além disso, a Centro de Diagnóstico atua com a retaguarda da equipe, também especializada, de Anestesiologia Pediátrica, que busca minimizar o desconforto e o estresse da criança durante os procedimentos em que a anestesia é necessária.

Equipe capacitada para diagnósticos de precisão em crianças

Por que é importante ser especializado em crianças? O processo para a realização desse tipo de exame, principalmente os que demandam utilização de contraste, é extremamente complexo e demorado. A preparação de uma criança para uma tomografia ou radiografia, por exemplo, envolve muitos tópicos que diferenciam da realização do mesmo exame em um adulto.

Por isso, o envolvimento de profissionais altamente especializados e da família é essencial. No Sabará, todos os processos que envolvem a passagem da criança pelo Hospital tem abordagem humanizada centrada no paciente e na família. Os pais ou responsáveis têm respaldo de toda equipe envolvida no atendimento para que se sintam seguros e passem segurança para a criança durante a sua estada hospitalar, seja para procedimentos rápidos ou até os mais complexos.

Dr. Fernando Gomes Pinto, neurocirurgião pediátrico do Hospital Infantil Sabará.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • reinilda kutz disse:

    Gosto de estar sempre por dentro de novas descobertas e conhecer novos procedimentos em pediatria pois tenho um filho especial que estamos em fase de rastreio de cindrome dandy walker, criducha.

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade