PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Cuidados com prematuros: o que os pais devem saber
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Cuidados com prematuros: o que os pais devem saber

Cuidados com prematuros: o que os pais devem saber

02/02/2016
  701   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

 

prematuriedade

O nascimento prematuro ocorre em cerca de 11 a 13% das gestações nos EUA. O mesmo índice ocorre no Brasil, segundo dados da Unicef de 2013 que estima em 11,7% a taxa de prematuros. Quase 60% dos gêmeos, trigêmeos e outros múltiplos resultam em nascimentos prematuros.

Um nascimento é considerado “prematuro” quando a criança nasce antes da 37ª semana de gravidez ser concluída. É importante reconhecer que os partos prematuros nunca devem ser feitos para a conveniência da mãe ou do obstetra.

Se o bebê nasce prematuramente, pode nem parecer, nem agir como o esperado. Enquanto o bebê não prematuro pesa cerca de 3,17 kg no momento do nascimento, um recém-nascido prematuro pode pesar 2,26 kg ou mesmo muito menos. Mas, graças a avanços médicos, as crianças nascidas depois de vinte e oito semanas de gestação e pesando mais de 1 kg, tem uma boa chance de sobrevivência; oito em cada dez dos que nasceram depois da trigésima semana terão possibilidade de boa saúde no longo prazo sem grandes problemas de desenvolvimento, ao passo que os bebês prematuros nascidos antes de vinte e oito semanas têm mais complicações, e necessitam de tratamento intensivo e apoio em uma unidade de terapia intensiva neonatal.

Quanto mais cedo o bebê nasce, menor será e maior a cabeça vai parecer em relação ao resto do corpo. Como tem menos gordura sob a pele, vai parecer mais magro e mais transparente, permitindo que você realmente possa ver os vasos sanguíneos abaixo dela. O bebê também pode ter o cabelo fino, chamado lanugo, nas costas e nos ombros. Não se preocupe, no entanto; com o tempo essas diferenças desaparecem.

Por não ter gordura, que é isolante, seu bebê prematuro vai ficar frio em temperaturas ambientes normais. Por essa razão, ele vai ser colocado imediatamente após o nascimento em uma incubadora ou em um dispositivo de aquecimento especial chamado aquecedor radiante. Aqui, a temperatura pode ser ajustada para mantê-la aquecida. Depois de um rápido exame na sala de parto, ele, provavelmente, será levado para a UTI neonatal.

O bebê prematuro vai chorar baixinho e pode ter dificuldades para respirar. Isto ocorre porque seu sistema respiratório ainda é imaturo. Se ele é menor do que 7 meses, suas dificuldades respiratórias poderão causar sérios problemas de saúde, pois os outros órgãos imaturos em seu corpo não irão obter oxigênio suficiente. Para se certificar de que isso não aconteça, os médicos irão mantê-lo sob observação, monitorando a sua respiração e a frequência cardíaca com equipamento chamado monitor cardiorrespiratório. Se ele precisar de ajuda para respirar, pode ser dado oxigênio extra, ou equipamento especial, como um ventilador; ou de outra assistência técnica de respiração chamada CPAP (pressão positiva contínua) pode ser utilizado temporariamente para apoiar sua respiração.

Tão importante quanto esse cuidado para a sobrevivência do bebê e a sua mudança para o berçário de cuidados especiais, é a preocupação sobre saúde materna, pois pode perder a experiência de exploração, amamentação e vínculo com o filho logo após o parto.

Para lidar com o estresse dessa experiência, a mãe pode solicitar ver seu bebê, logo que possível após o parto, e se informar sobre o quanto poderá cuidar dele.

Veja como os pais podem fazer para poder participar do cuidado com seu bebê na UTI neonatal:

  1. Gastar tanto tempo quanto possível com ele no berçário de cuidados especiais. Mesmo que a mãe não possa segurá-lo ainda (até que ele esteja estável), tocá-lo muitas vezes. Muitas unidades de terapia intensiva permitem que os pais façam “canguru” com seus bebês.
  2. A mãe também pode alimentá-lo assim que seu médico liberar. As enfermeiras irão instruí-la sobre quaisquer técnicas de amamentação ou mamadeira, o que for apropriado para as necessidades do bebê e seus desejos.
  3. Alguns recém-nascidos prematuros podem exigir inicialmente fluidos por via intravenosa ou através de um tubo de alimentação que passa pela boca ou nariz para dentro do estômago. Mas o leite materno é a melhor nutrição possível, e fornece anticorpos e outras substâncias que aumentam a sua resposta imune e ajudam a resistir à infecção.
  4. Uma vez que a mãe seja capaz de começar a amamentar diretamente, o bebê deve mamar com frequência para aumentar a sua produção de leite. Mesmo assim, as mães de bebês prematuros às vezes precisam usar uma bomba de de retirar leite.
  5. A mãe deve voltar para casa antes de seu recém-nascido, o que pode ser muito difícil, mas deve lembrar-se de que o bebê está em boas mãos, e pode visitá-lo com a mesma frequência. Deve usar o seu tempo longe do hospital para descansar o necessário e preparar sua casa e família para a ida do seu bebê para a casa. Mesmo depois que a mãe voltar para casa, deve participar na recuperação do bebê e se tiver bastante contato com ele durante esse tempo, melhor vai se sentir sobre a situação e mais fácil será para você para cuidar dele quando ele sair do berçário de cuidados especiais.

O seu bebê estará pronto para voltar para casa, quando estiver respirando por conta própria, capaz de manter sua temperatura corporal, podendo ser alimentado pelo peito ou mamadeira, e ganhando peso de forma constante.

Autor: Dr. José Luiz Setúbal.

Fonte:

  1. Cuidar de seu bebê e da Criança: Birth to Age 5, 6 Edition (Copyright © 2015 Academia Americana de Pediatria)
  1. http://www.unicef.org/brazil/pt/media_25849.htm

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.
Instituto Pensi

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade