PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Marcos do desenvolvimento da visão dos bebês
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Marcos do desenvolvimento da visão dos bebês

Marcos do desenvolvimento da visão dos bebês

05/02/2014
  1997   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Entenda como a visão das crianças evolui com o passar do tempo, uma ajuda para reconhecer se há algo errado

desenvolvimento da visão dos bebês

Os pais estão sempre curiosos para saber o que o bebê vê e como ele enxerga. Problemas de visão são suspeitos quando a criança não responde ao meio em que vive de maneira correta.

Por isso, o post de hoje mostrará algumas diretrizes organizadas por idade para que os cuidadores tenham uma ajuda na hora de decidir se o filho vê de maneira correta ou tem problemas com a visão. É importante lembrar que os pequenos não são iguais e que alguns podem alcançar as metas abaixo em idades diferentes.

Marcos do desenvolvimento relacionados à visão:

Nascimento • Visão ainda é precária;
• O bebê piscará em resposta à luz ou ao toque nos olhos;
• Os olhos, às vezes, são descoordenados, fazendo com que eles se cruzem (ficar vesgo);
• Capaz de olhar para algum objeto a 8-10 centímetros de distância;
• Inicialmente, fixa os olhos em um rosto ou luz e, em seguida, começa a seguir um objeto em movimento.
1 mês • Olha rostos e imagens com contraste de imagens em preto e branco;
• Pode seguir um objeto de até 90 graus;
• Olha atentamente o rosto dos pais;
• Lágrimas começam a aparecer.
2 a 3 meses • Começa a ser capaz de ver um objeto como uma imagem;
• Olha para as mãos;
• Segue rostos e objetos por alguns instantes.
4 a 5 meses • Tenta pegar ou bater com as mãos nos objetos pendurados;
• Pode olhar ao redor;
• Reconhece a mamadeira;
• É capaz de olhar para si no espelho;
• Começa a olhar para a própria mão.
5 a 7 meses • Consegue discernir as cores;
• Capaz de ver objetos afastados;
• Pode pegar um brinquedo a seu alcance;
• Pode virar a cabeça para ver um objeto;
• Gosta de certas cores;
• Tocará a imagem de si no espelho.
7 e 11 meses • Pode olhar para pequenos objetos;
• Começa a ter a percepção de profundidade;
• É capaz de brincar de esconde-esconde (a mãe esconde o rosto como um anteparo e pergunta: onde está a mamãe?).
11 a 12 meses • Pode acompanhar objetos que se movem com rapidez.
12 a 14 meses • Capaz de colocar formas em pontos adequados;
• Fica interessado em fotos;
• Reconhece objetos familiares e imagens em livros. Pode até lançar a pergunta: onde é que…?;
• Aponta para objetos e ações;
• Reconhece o próprio rosto no espelho.
18 a 24 meses • Capaz de focar objetos próximos e distantes;
• Rabiscos podem imitar desenhos em linha reta ou em círculos;
• Pode apontar para partes do corpo (nariz, cabelo e olhos) quando perguntado.
36 a 38 meses • Pode copiar as formas;
• Visão está se aproximando de 20/20;
• Nomeia as cores.
48 a 72 meses (4 a 6 anos) • Reconhece e recita o alfabeto;
• Pronto para começar a ler;
• Tem a percepção de profundidade completa;
• Consegue usar uma tesoura sem ponta;
• Pode citar moedas e notas.

Esta informação não substitui o cuidado médico. Siga sempre as instruções do seu profissional de saúde.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Medical Revisor: Bogus, William J. OD, FAAO. Médico Revisor: Grantham, Paula, RN, BSN© 2000-2013 Krames StayWell, 780 Township Line Road, Yardley, PA 19067.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade