PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Dicas para melhorar a alimentação dos seus filhos
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Dicas para melhorar a alimentação dos seus filhos

Dicas para melhorar a alimentação dos seus filhos

11/09/2012
  1284   
  15
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Saiba que hábitos alimentares saudáveis trazem benefícios no decorrer do crescimento

Pais e Crianças - Alimentação saudável

Corrigir os maus hábitos alimentares sempre é uma tarefa difícil. Portanto, é recomendável que os pais fiquem vigilantes para que isto não aconteça com seus filhos. Se você tenta incluir verduras no prato da criança ou chama a atenção do adolescente para beber outra coisa que não seja refrigerante, as dicas abaixo podem ser úteis para melhorar a alimentação deles.

• Diga não às guloseimas: é recomendado que os pais limitem a quantidade de doces digeridos pelas crianças todos os dias, ao invés de proibi-los completamente. Dessa forma, seu filho não ficará tentado a querer o que não pode ter. Proibir alimentos nunca é uma boa ideia, pois a criança pode ter acesso a eles fora de casa e estas oportunidades acarretam o hábito de comer em excesso.

As restrições das sobremesas e de outras delícias como forma de punição por mau comportamento também não são recomendadas, pois podem gerar uma má relação da criança com a comida.

• Incentive-os a comer de forma inteligente na escola: procure opções saudáveis para colocar na merenda escolar do seu filho. Converse com ele sobre as escolhas de cada dia e desafie-o a identificar o alimento mais saudável. Esta participação fará com que ele fique ciente de todas as escolhas. Com isso, a criança ganhará experiência na tomada de decisões por alimentos nutritivos.

Quanto aos lanches, ao invés de dar dinheiro para as crianças usarem na cantina da escola, contorne a situação e explique a importância desses alimentos serem substituídos por produtos mais saudáveis como frutas, barrinhas de cereais, sucos, etc.

• Evite comprar alimentos pouco saudáveis com frequência: se a criança estiver com vontade de comer salgadinho, compre aquele que tiver o tamanho menor, mesmo que o pacote maior afirme ser a versão econômica. Ao comprar guloseimas, deixe-as fora de vista dos seus filhos.

• Ensine as crianças sobre as calorias consumidas: os pré-adolescentes e adolescentes podem estar cientes com relação as calorias nos rótulos dos alimentos. Porém, eles ignoram a quantidade que consomem diariamente, especialmente quando se trata de bebidas açucaradas como sucos e refrigerantes. Explique o que são as calorias e como elas funcionam. Você os ajudará a manter uma dieta saudável e controlada.

• Promova o consumo de frutas e vegetais no jantar: ao preparar o prato, sempre inclua o item saudável que seu filho gosta muito. Cozinhe uma quantidade limitada de amidos, como batata e arroz, e incentive-o a comer frutas e legumes. Compre vegetais em miniaturas para beliscar durante à tarde (cenoura, milho, etc.).

Fique ciente que, ao decidir pela compra de produtos saudáveis, é necessário que haja a mudança do comportamento alimentar ao redor da criança. Pode parecer que seus filhos, especialmente os adolescentes, não seguem os conselhos sobre a importância de se ter hábitos alimentares saudáveis de propósito, mas a opinião e as ações tomadas pelos pais geram um grande impacto em como eles veem a nutrição.

Para ajudá-los, se preocupe com uma boa alimentação desde o nascimento e alimente os bebês com água e leite para não torná-los grandes consumidores de bebidas com açúcar e leite com chocolate. Na hora de fazer o suco, utilize frutas secas e não adoce.

• Seja um exemplo para seu filho: as crianças pré-escolares gostam de copiar o que os pais fazem e são suscetíveis a imitarem as preferências dos adultos na hora da refeição. Dessa forma, elas ficam mais dispostas a experimentarem novos alimentos.

Aproveite este comportamento e faça escolhas saudáveis para colocar no prato. Tenha seu filho como companhia na hora do lanche e das refeições mais importantes, para que ele veja o quanto você gosta de frutas e legumes. Vocês podem até brincar de provar novos alimentos juntos.

Tente evitar que os filhos mais velhos falem “eca”, seguido de uma careta, ou comentar de forma negativa sobre um determinado alimento perto da criança mais nova na hora da refeição. Isso pode influenciá-la a não comer mais determinado legume ou verdura.

• Coma em pequenas porções: use pratos menores e opte por tigelas e utensílios de sobremesa para evitar que os alimentos sejam servidos em demasia. Além disso, a atitude permitirá que eles possam se servir com segurança quando tiverem idade suficiente para isso.

Você pode começar esta prática quando eles estiverem com 3 a 5 anos. Deixe-os se servirem com uma porção de salada ou algum alimento frio. Isso fará com que eles se sintam “como um adulto” por aprenderem a medir o quanto querem comer e compreenderão o tamanho de cada porção. Incentive-os a servir a quantidade que almejam e repetir apenas se ainda estiverem com fome. Ajude-os também a reconhecer quando comeram o suficiente.

• Atenha-se à refeição e não ao lanche: a refeição regular com horário fixo desencoraja a criança a beliscar durante o dia e evita que elas sintam muita fome entre as refeições, o que pode levá-los a compensar em excesso mais tarde. A maioria das crianças precisam de três refeições e um ou dois lanches por dia. Consulte o pediatra, médico ou nutricionista infantil se você estiver preocupado com relação ao fato deles terem se alimentado ou não o suficiente.

Se a criança pular uma refeição, não a deixe “compensar” com doces ou biscoitos. Ao invés disso, ofereça um lanche saudável, como maçãs ou cenouras, e certifique-se que elas comam uma porção suficiente na próxima refeição.

Não desanime se seu filho for teimoso e se afastar do brócolis ou do purê de ervilhas. Leva-se tempo para as crianças aprenderem a gostar de um alimento com novo sabor e textura. Um legume ou uma verdura que elas nunca provaram, muitas vezes, pode levar a inúmeras tentativas para fazê-las decidirem se gostam ou não das novidades.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • denise disse:

    minha neta de 2 anos e meio não almoça ha uma semana. chora empurrando o prato e pede iogurte ou outras guloseimas no lugar. nã0 atendo, nem a mãe. no entanto, como ela dorme após esse horário, dorme com fome. o que fazemos?

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Denise. Sua dúvida foi encaminhada ao nosso corpo clínico. Em breve lhe encaminharemos uma resposta. Abraços! 🙂

    • Equipe Sabará disse:

      Denise, continue fazendo isto e ofereça dieta própria para o horário e não guloseimas. Nesta idade é muito comum ter birras e manhas. Ela não deve estar passando tanta fome. Abraços! 🙂

  • Elenilde disse:

    Boa tarde,estou precisando de uma dieta para colesterol alto.Minha filha tem sete anos estou desesperada.

    Desde já agradeço a atenção

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Elenilde. Sua dúvida foi encaminhada ao nosso corpo clínico. Em breve lhe encaminharemos uma resposta. Abraços! 🙂

    • Equipe Sabará disse:

      Elenilde, o melhor a fazer é procurar um nutricionista para ele te orientar conforme seus hábitos. Alem disto, para baixar os níveis de colesterol muitas vezes além da dieta é necessário fazer exercício físico, dieta e algumas vezes tomar medicação. Abraços! 🙂

  • Aline disse:

    Olá?! Estou precisando de uma grande ajuda, meu filho não anda se alimentando direito.
    Por favor, o que posso fazer?? Estou desesperada!!!
    Desde já agradeço pela atenção!

  • Joao Lacerda disse:

    Prezados,

    Um grupo de mães blogueiras está organizando uma blogagem coletiva sobre alimentação infantil.

    Fica a sugestão para participarem também!

    http://www.asosmamaenadia.com/?p=1763

  • Mikaelle disse:

    Olá, eu tenho 13 anos e peso mais ou menos uns 34 quilos.. Eu queria saber s e eu posso fazer musculação para aumentar o peso. E também queria que você passasse o nome de alguns alimentos que devo comer.

    • Equipe Sabará disse:

      Oi Mikaelle!
      Quem pode te orientar sobre isso é um nutricionista e o orientador físico. Não deixe de consultar um profissional da área para não ficar com dúvidas. Abraços! 🙂

  • Licinia disse:

    Olá meu filho tem 9 anos.No exame deu q/ seu colesterol esta no limite p/ idade dele.
    Como posso ajuda-lo.Estou muito preocupada pois vejo q/a cada dia ele fica mas gordinho.Me ajude por favor estou desesperada pois a família de meu marido tem um grande grau de obesidade.Um grande abraço.

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Licinia! Não temos como diagnosticar sem conhecer o quadro clinico do seu filho. Recomendamos que visite uma nutricionista e tire todas as suas dúvidas com esse especialista. Abraços.

  • maria manuel disse:

    Ola, preciso de ajuda tenho uma amiga que o filho tem um pouco de peso amais ,e a crianca esta com a barriga grande ele 9 anos a Mae nao save o que fazer.

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Maria! Não temos como diagnosticar sem conhecer o quadro clinico do seu filho. Recomendamos que visite um médico e tire todas as suas dúvidas com esse especialista. Abraços.

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade