PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Esporte e amizade
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Esporte e amizade

Esporte e amizade

24/11/2016
  1907   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Hoje queria contar a vocês uma história interessante de como o esporte torna-se importante na inclusão social e na estruturação de amizades sinceras e profundas.

Gabriel era um menino doce, esperto, alegre e brincalhão. No entanto era muito tímido. E essa timidez o limitava em muitos campos, principalmente na relação com o próximo. Gabriel não tinha amigos e isso preocupava imensamente os pais. Um dia, a professora de educação física descobriu que ele gostava muito de nadar e que poderia utilizar isso como um caminho para que descobrisse amigos. Convidou-o a fazer parte da equipe de natação da escola e logo Gabriel começou a se destacar na equipe. Começou a sentir-se mais confiante. Seus colegas começaram a pedir ajuda e conselhos para melhorarem. Aos poucos Gabriel foi se abrindo e descobrindo amigos maravilhosos. O esporte transformou sua vida.

Assim como Gabriel, existem muitas outras crianças que podem encontrar no esporte um caminho para relacionamentos saudáveis e verdadeiros. Os esportes contribuem para a formação de relações profundas e duradouras, pois as pessoas trabalham em sincronia visando alcançar um objetivo. Podemos perceber isso mais claramente nos esportes coletivos. A confiança faz-se necessária entre os esportistas, assim como a adaptação a lugares e situações diversas contribui para novas interações. Dos esportes individuais nascem o respeito e a amizade nos “fair play”. Relações verdadeiras entre rivais de um mesmo esporte surgem em meio a campeonatos e disputas. O mesmo ocorre durante os treinos. Provavelmente nesses momentos os “rivais” descobrem que possuem o mesmo nível de habilidade, compartilham interesses comuns e provavelmente, admiram-se profundamente. E por isso torcem também uns pelos outros.

Se formos analisar os valores Olímpicos descobriremos que são fixados em três pilares: amizade, excelência e respeito. A amizade faz com que as mãos sejam estendidas ao outro buscando o entendimento. Apesar das diferenças o amigo procura entender o próximo e cultiva, nas relações com o próximo, atitudes e sentimentos positivos como a honestidade, simpatia, compaixão, solidariedade, confiança. Essa amizade também envolve o respeito ao próximo que se resume na honestidade, respeito às regras, respeito aos limites (seu, de seu corpo, do próximo e do meio ambiente) independente de religião, raça ou cor. Dessa maneira e buscando a excelência, isto é, dar o melhor de si tanto no esporte quanto na vida, o esportista pode tornar-se um ser mais humano e responsável.

Portanto, olhemos o esporte também como uma oportunidade de fazer com que nossos filhos encontrem os verdadeiros valores que uma amizade deve ter e que assim possam desenvolver relações saudáveis e maduras.

 

Maria Helena Sampaio de Castro d'Ancora

Maria Helena Sampaio de Castro d'Ancora

Maria Helena Sampaio de Castro d'Ancora é formada em Educação Física e Esporte. Possuí especialização em Psicomotricidade e Análise Existencial/Logoterapia com ênfase na educação. Trabalha com crianças e adolescentes há 20 anos atuando na área de avaliação, estimulação e reabilitação psicomotora. Praticante de esportes desde pequena divide seu tempo entre o trabalho, treinos de corrida e seus filhos Luca (14) e Pedro (7) que herdaram sua paixão pelos esportes.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade