PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Estudo descobre admissões de cuidados intensivos no hospital de crianças americanas para overdoses de opioides duplas
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Estudo descobre admissões de cuidados intensivos no hospital de crianças americanas para overdoses de opioides duplas

Estudo descobre admissões de cuidados intensivos no hospital de crianças americanas para overdoses de opioides duplas

03/04/2018
  495   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Um dos assuntos mais discutidos no Congresso da Academia Americana de Pediatria em setembro, na cidade Chicago, foi sobre o uso de opioides em crianças. Os opioides são medicamentos feitos a partir do ópio, e que tem grande poder analgésico. Seu uso em crianças é muito comum nos EUA e mais raro no Brasil.

Esse uso é uma das causas de pessoas dependentes de analgésicos, e se tornou um verdadeiro problema de Saúde Pública por lá. Se você parar para pensar como é comum, na série House, o próprio médico é adicto de derivados de morfina, Michael Jacson e Prince também, só para citar alguns casos célebres.

Apesar dos esforços em curso para reduzir o uso de opiáceos entre adultos, um artigo da revista Pediatrics de abril de 2018 mostra o número de internações da unidade de terapia intensiva pediátrica (UTIP) causadas por alta dosagem de opioides ocorridas entre 2004 e 2015.

“Utilização de Recursos Críticos de Recursos Críticos Relacionados com Opióides em Hospitais Infantis dos EUA” é o primeiro estudo nacional a examinar com que frequência as crianças acabam em cuidados intensivos contra a ingestão de opioides.

Das mais de quatro milhões de internações hospitalares em 31 hospitais infantis diferentes durante o período de estudo, cerca de 3.650 pacientes foram admitidos por condições relacionadas a opioides. Destes, 37% dos pacientes jovens necessitaram de ventilação mecânica e 20% necessitaram de medicamentos vasopressores, que são usados ​​para tratar a pressão arterial severamente baixa causada por narcóticos. Entre os pacientes entre 1 e 5 anos, a metadona representou quase 20% dos opióides ingeridos.

É mais um estudo que sugere um risco aumentado para crianças pequenas quando os pais ou membros da família estão sendo tratados por seu próprio vício de opioides ou usando a própria metadona. Eles exigem maiores esforços para reduzir a exposição evitável aos opiáceos às crianças.

Saiba mais:

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Pediatrics – April 2018

Opioid-Related Critical Care Resource Use in US Children’s Hospitals

Jason M. Kane, Jeffrey D. Colvin, Allison H. Bartlett, Matt Hall

 

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade