PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Exercício e a saúde dos adolescentes
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Exercício e a saúde dos adolescentes

Exercício e a saúde dos adolescentes

11/06/2014
  918   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

mulher-jogando-volei-praticando-esportes

Em geral os adolescentes gostam de fazer atividades físicas, embora atualmente esta disposição pareça ter diminuído.

Em um estudo publicado, os pesquisadores descobriram que os meninos e meninas que têm maior força muscular têm menor risco de doença cardíaca e diabetes. Meninos e meninas mais fortes também têm melhores pontuações em outros indicadores de saúde cardiometabólico, incluindo menor índice de massa corporal, menor gordura corporal, circunferência da cintura, e maiores níveis de aptidão cardiorrespiratória.

Para o estudo, os pesquisadores analisaram dados de saúde de mais de 1.400 meninos e meninas com idades entre 10 e 12 anos, incluindo o seu:

1-                 Percentual de gordura corporal

2-                 A glicemia de jejum

3-                 Pressão arterial

4-                 Triglicérides plasmáticos

5-                 HDL colesterol

Eles usaram essas medidas para criar uma pontuação para síndrome metabólica (não há formalmente definições acordadas de síndrome metabólica em crianças e adolescentes) e os meninos e meninas com maior (ou seja, a força muscular) tiveram risco significativamente menor.

Os resultados contradizem a crença generalizada de que só IMC elevado, baixa aptidão cardiorrespiratória e comportamentos sedentários em excesso são as principais causas de problemas de risco cardiometabólico. Anteriormente, estudos de grande escala encontraram baixa força muscular em meninos adolescentes como um fator de risco para várias das principais causas de morte no início da vida adulta, como o suicídio e doenças cardiovasculares.

Os autores concluem que este estudo reforça apoio a estratégias – incluindo o treinamento de força ou exercícios de fortalecimento (musculação) – manter IMC saudáveis ​​em crianças e adolescentes, além de exercícios de resistência para complementar as intervenções tradicionais de perda de peso entre crianças e adolescentes.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Strength Capacity and Cardiometabolic Risk Clustering in Adolescents

Mark D. Peterson, PhD, MSa, William A. Saltarelli, PhDb, Paul S. Visich, PhD, MPHc, and Paul M. Gordon, PhD, MPHd

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade