PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Existe dor do crescimento?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Existe dor do crescimento?

Existe dor do crescimento?

06/11/2013
  1008   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Esse é um dos impasses que preocupam, especialmente, as mães ao longo do desenvolvimento da criança

dor do crescimento

“Jorginho é meu filho caçula e tem 4 anos de idade. Há uns 2 meses, ele participou da festa de aniversário de um coleguinha da escola, brincou bastante e depois o trouxemos para casa.

Ele chegou todo eufórico contando suas aventuras, tomou banho, jantou, ficou assistindo um pouco de televisão e mais tarde foi dormir. Entretanto, no meio noite, acordei meio assustada, pois ele estava choroso. Fui até seu quarto e ele reclamou, sonolento, que a perna estava doendo, às vezes, até dava umas cutucadas.

Pensei que ele tivesse se machucado nas brincadeiras do dia anterior. Olhei com detalhe para as pernas. Não vi nada. Até procurei sinais de batida e… Nada! Massageei um pouco e ele nem sabia dizer direito aonde era a dor. Logo, disse que melhorou e adormeceu. No dia seguinte, ele acordou bem, andou normalmente, mal se lembrava do que tinha acontecido e foi para a escola.

Conversei com meu marido. Concluímos que, provavelmente, era um certo “dengo” de ciúmes da irmã mais velha para chamar nossa atenção.

Os dias se passaram e, praticamente 3 semanas depois, as queixas se repetiram e sumiram espontaneamente. Ele não tinha febre e nunca apareceu nenhum sinal local. No outro dia, tudo voltava à normalidade. Pensei que ele estivesse inventando para chamar atenção. Conversei com umas amigas que relataram histórias semelhantes com seus filhos e que depois tudo também passava. Elas comentaram que isso se chamava a famosa “Dor do Crescimento”. Inclusive, a avó paterna disse que meu marido se queixava do mesmo jeito quando criança. Pensei comigo: será que crescimento dói?

O impasse se repetiu mais uma vez e resolvi perguntar ao pediatra sobre o assunto e ele me tranquilizou falando que, pelas características que eu descrevia, provavelmente, seria a conhecida “Dor do Crescimento” e pediu para trazer o menino para dar uma examinada”.

Este é o relato mais comum das mães quando descrevem este tipo de queixa que atinge de 20% a 40% das crianças de todo o mundo.

Afinal, o que é isso?

Há muitos anos, em meados do século 19, Duchamp (1823) descreveu esta estranha queixa que acontecia nas crianças, na fase rápida de crescimento. Com história pouco definida, essas dores são caracterizadas com pontada, pressão ou incômodo latejante que atingem os membros inferiores das crianças na faixa etária entre 3 a 6 anos. Também podem apresentar novos picos entre os 8 aos 12 anos. Sua localização mais frequente é na região anterior da perna, mas pode acontecer também na coxa e na região posterior do joelho.

Como causas, foram descritas várias etiologias: circulatória, menor resistência óssea, excesso de atividades, frouxidão ligamentar, imunidade baixa, etc. Apesar de todas as pesquisas, nenhuma das causas foi devidamente provada. Além disso, os exames laboratoriais estão normais.

Entretanto, o mais importante de tudo é que a chamada “Dor de Crescimento” deve ser um Diagnóstico de Exclusão, ou seja, temos certeza que isso é um fenômeno passageiro e não o prenúncio de algo mais importante. Para isso, devemos lembrar que são sinais de alerta que indica outros fatores se a dor for persistente, a palpação se torna mais acentuada, como também se ocorre inchaço ou vermelhidão, febre, mancar no dia seguinte, fraqueza nas pernas ou associação com algum atraso do desenvolvimento. Se algum destes sinais estiver presentes, isso não é dor de crescimento. A criança deve ser levada ao pediatra e, se necessário, poderá ser feita uma consulta ao ortopedista pediátrico para descartar qualquer outro problema.

Por: Dr. Antonio José Pinto

Médico Ortopedista Pediátrico do Hospital Sabará e Prof. Adjunto da Disciplina de Ortopedia Pediátrica – UNIFESP

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • Renata disse:

    Minha filha que hoje tem 2 anos e 10 tem dores na perna desde antes de fazer 2 anos. Cheguei a levá-la ao pronto socorro já por isso. Fez um raio x já e não aponta nada. Ela já chegou a ficar madrugadas quase inteiras chorando de dor, quando menorzinha só levava a mão nas pernas, mas hoje consegue se expressar melhor e aponta e fala o local da dor.Tenho outros dois filhos mais velhos que tiveram essa famosa dor nas pernas quando cresceram, mas foi na fase de uns 7, 8 anos. Fico com receio de não ser de crescimento, já que começou tão cedo. Ela teve uma septecemia com 1 ano e 10 meses, ficou internada ai mesmo no Sabará, será que essa infecção generalizada pode ter causado algo mais? A pediatra acredita ser do crescimento, já que não tem vermelho, nem incha e ela anda, corre normalmente. Mas quando vem as dores e ela chora tanto, fico com bastante medo.

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Renata, sem conhecer o quadro clínico completo da sua pequena não temos como informar o diagnóstico. Recomendamos que solicite ao médico que já a conhece o melhor tratamento para que possa amenizar as dores que ela sente. Abraços.

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade