PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Histórias de Superação: o caso Melina
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Histórias de Superação: o caso Melina

Histórias de Superação: o caso Melina

21/11/2013
  1517   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Eis o relato emocionante de um pai que jamais desistiu da saúde dessa pequena vitoriosa

Melina---Casos-de-Superação

Hoje, trazemos a história de Melina, uma criança que nasceu de forma prematura, com apenas 28 semanas. Em meio ao momento de plenitude dos pais, surgiram os problemas. Melina ficou muito tempo entubada, o que rendeu dias de apreensão. Em seu 4º dia de vida, a pequena passou por uma cirurgia delicada: uma correção de Persistência do Canal Arterial (PCA).

Tudo parecia bem, Melina parecia mais saudável, mas, devido às diversas entubações e extubações, a pequena desenvolveu estenose, uma obstrução da região interna da traqueia. A partir daí, começou a corrida dos pais à procura de profissionais da área de saúde, onde, por fim, a família encontrou o caminho até o Hospital Infantil Sabará. Confiram o relato:

Melina 1

A nossa luta começou em março de 2011, em meio a muitos procedimentos para recuperar a saúde e o bem-estar de Melina. Em agosto de 2012, depois de muitas noites viradas na procura de informações para solucionar essa preocupação com laudos médicos da situação da minha filha, iniciei uma busca implacável de algum Cirurgião Torácico. A busca deu resultados e o encontrei, o Dr. Antonio Vendrami Malucelli. Localizado na região Sul do Brasil, mais precisamente em Curitiba, Paraná, comecei a ligar de todas as maneiras para o convênio buscando informações, pois eu não fazia ideia sobre como se autorizava uma cirurgia. Até então, eu já havia entrado em contato com o Dr. Malucelli e tinha ciência de valores e de custos para viagem e cirurgia, bastava o convênio concordar e autorizar.

Essas autorizações mais burocráticas costumam levar até 21 dias para sair, a ansiedade me corria por dentro, pois esse é apenas o resumo da ópera. Mas o dia a dia foi cruel, era cortante feito um canivete. Enquanto a resposta não saia, uma auxiliar do Home Care chegou até mim, e disse:

“Por que você está indo para tão longe? Será que aqui em SP você não encontra algum hospital especializado, algum médico? Eu tenho um amigo, otorrino, que talvez possa ajudar, o que você acha?”

Eu mal respondi, pois estava cego, surdo e mudo. Na minha opinião, existia apenas uma verdade, o Dr. Antonio Vendrami Malucelli, só!

Mesmo assim, a auxiliar fez questão de conversar com o seu amigo otorrino e me trouxe um papel com os nomes de quatro médicos, entre eles: a Dra. Saramira.

Peguei o papel, olhei e mal dei atenção.

Melina 2

Uma noite, minha mãe pegou o papel até então jogado, e disse: vamos pesquisar no Google e ver quem são os médicos. Eu topei! Um a um, fui achando informações importantes, outras não, até pesquisar o nome da Dra. Saramira Cardoso Bohadana.

Achei uma entrevista no Jô Soares de 2010, se não me engano, e comecei a chorar, pois ela dizia sobre a paixão de cuidar de crianças prematuras, entubadas, etc. Foi onde minha mãe olhou e disse:

“Ela vai curar a Melina”.

Eu olhei e comecei a rir, ainda chorando, e comentei que era impossível, pois alguém que vai até o Jô Soares deve ser incomunicável, inatingível, enfim, coisa de estrela, seria impossível. De qualquer forma, pesquisei sobre a vida da Dra. e achei diversas informações que futuramente seriam úteis.

Chegando próxima à data dos 21 dias de espera para autorização para viajar à Curitiba e iniciar o tratamento com o Dr. Antonio Vendrami Malucelli, o hospital que seria o nosso abrigo no Sul me ligou dizendo que o convênio havia cancelado sem maiores motivos.

SETEMBRO 2012

Melina 3

Busquei diversos médicos, professores, e ninguém me deu esperanças, ninguém sabia ao certo o que fazer com a Melina. Isso me matava aos poucos, mais eu permanecia com a minha fé, intacta. Nesse período, Melina pegou uma desidratação e ficou duas semanas no Hospital Villa Lobos. Lá, encontrei uma médica que me passou o nome de um especialista em otorrinolaringologista. Assim que tivemos alta, levei a Melina e o médico, depois de alguns exames simples, virou e disse:

“O mais aconselhável é tratar daqui uns 5 ou 6 anos …”

Eu mal deixei ele acabar de falar e levantei a caminho da ambulância que nos aguardava, a frustração era imensa.

Daí, comecei uma jornada de compreensão perante aos responsáveis do convênio até entender o porquê do cancelamento da cirurgia que estava praticamente certa. Entrei em paranoia, não dormia e mal comia, passava o dia no telefone buscando solução. Eu não tinha dinheiro para custear o tratamento, era muito dinheiro, minha única esperança era orar para que Deus fizesse o milagre.

Melina 4

Enquanto eu não tinha as devidas respostas, um dia procurei o telefone da Dra. Saramira e liguei, sem pretensão nenhuma, sei lá, queria ouvir a voz de outro médico que se emocionasse pela minha história, porque tudo estava perdido. Liguei no consultório e deixei meu telefone para que a Dra. retornasse quando pudesse. Praticamente sem esperanças e sem ao menos esperar, meu telefone tocou, um número desconhecido. Era a Dra. Saramira, sim a mesma que eu vi no Jô Soares a um mês atrás, a mesma que minha mãe disse que curaria a Melina e eu praticamente não dei ouvidos.

Conversamos bastante, mais a conversa não evoluiu, pois uma avaliação da Melina custava X. O Hospital em questão era o Infantil Sabará que, pelo convênio da rede essencial, nós teríamos direito de tratar lá, portanto, liguei mais para desencargo de consciência.

Naquele dia, sentei no computador e redigi um e-mail de 8 páginas, com todos os laudos, com todos os exames e provas suficientes que minha filha precisava de uma avaliação cirúrgica, que ela precisava de cuidados e eu estava suplicando por ajuda. Se cancelaram Curitiba com o Dr. Malucelli, que me aprovassem no Hospital Infantil Sabará com a Dra. Saramira, era tudo que eu pedia.

Já em outubro, dia 10 precisamente, meu telefone tocou, era a Gerente de Relacionamento da Golden Cross, Caroline Guimarães, que se desculpou pelo mal entendido e falta de explicação sobre o cancelamento da cirurgia em Curitiba e orientou que ficássemos tranquilos, pois a Melina se trataria com a Dra. Saramira no Hospital Infantil Sabará.

No mesmo momento, peguei meu celular e registrei o momento da ligação, pois era um dia épico, o dia mais feliz da minha vida. Sim a Melina vai se tratar, no melhor hospital e com a melhor médica. Era um sonho.

OUTUBRO 2012 a DEZEMBRO 2012

Melina 5

Não precisei de advogados, não precisei gastar milhões, só precisei ter fé e Deus nos recompensou! Óbvio que o trabalho foi árduo e todos os profissionais envolvidos esforçaram-se demais para que tudo isso pudesse acontecer e eu eternamente serei grato à Golden Cross.

Marcamos uma consulta com a Dra. Saramira e, em seguida, uma nova broncoscopia foi marcada naquela que seria nossa nova casa, Hospital Infantil Sabará. O exame foi feito e o diagnóstico foi o mesmo passado lá no meio do ano pela Dra. Eunice Komo Chiba. Melina possuía uma estenose grau 4 e necessitava de uma Laringoplastia.

A cirurgia seria complexa e extensa. Por isso, todo cuidado era pouco. Agora, faltavam apenas os ajustes, estávamos próximos da realização. A cirurgia era um método inovador para tratamentos de estenose laríngea com alargamento anterior ou posterior (ou ambos) da área estenosada.

JANEIRO 2013

Melina 6

11 de janeiro o procedimento foi feito pela competente Dra. Saramira C. Bohadana e pela equipe do Hospital Infantil Sabará. A cirurgia durou cerca de 4 horas, imaginem a minha aflição, foi realmente terrível, mais deu tudo certo graças a Deus. Ficamos na belíssima e confortável UTI no 6º andar, recebendo todo o auxílio do Pediatra Tiago, dos Fisioterapeutas e Fonoaudióloga André Baldi, profissional que possui meu total respeito.

Durante a internação, fiz questão de iniciar um relato, um diário da Melina e sobre seus problemas no Facebook, onde, carinhosamente, possui quase 230 seguidores. É um enorme prazer poder compartilhar minhas histórias, ajudar aos necessitados e, claro, ser ajudado. O apoio com a minha Melina é lindo, ainda mais de quem você nunca conheceu. O amor pela Melina superou todas as barreiras com a página “Traqueolandia”. Obrigado a todos que sempre fazem questão de comentar.

Após duas semanas, voltamos para casa e um novo recomeço foi instalado com a Melina. Ela começou a sentir mais sabor, cheiro nos alimentos, paladar aguçado! As vitórias vieram gradativamente.

Melina 7

Atualmente, retornamos ao Hospital Infantil Sabará todos os meses desde a cirurgia para realização das bronco-dilatações. Eu só tenho a elogiar e a agradecer todos os envolvidos desde que entramos no Hospital. Profissionais altamente capacitados, desde a recepção até a internação, onde fiz diversos amigos e sempre, quando retorno, assim como em todos os andares, principalmente no 15º, onde sempre ficamos, todos já conhecem a Melina de longe.

Na verdade, os profissionais do Sabará estão acompanhando todo o crescimento e a evolução da minha filha nesse último ano. Eu só tenho a agradecer a todos os envolvidos, como eu citei acima, da recepção, membros, diretora Sandra Regina Mutarelli e o presidente José Luiz Egydio Setúbal. Todos vocês fazem parte dessa recuperação fantástica da minha filha.

Para finalizar, deixo aqui manifestado minha enorme compaixão, meu eterno agradecimento pela profissional Saramira Cardoso Bohadana, que, neste exato momento, deve estar salvando mais uma vida, assim como salvou a da Melina. Dra., a senhora é muito mais do que especial, já lhe disse, não existe dinheiro no mundo que compre, que pague o que fez pela minha filha e pela minha família. Fica aqui a minha dívida para sempre com você… Nós te amamos.

Para conferir o texto na íntegra: Traqueolandia

Por Anderson Grecco

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • silvana disse:

    Conheço uma linda historia graças a DEUS evcs com o final muito feliz que vcs podiam contar e do principe Rafael Baccus so de lembrar me emociono>

  • Renata Pascuotti disse:

    Que história Linda!!! Parabéns por ser um pai tão dedicado!!!! Realmente a equipe do Sabará é muito acolhedora e competente, também “morei” lá com meu bebezinho mais de um mês e tenho todos no meu coração para sempre! Parabéns sua filha é uma princesaaaaa!!! Deus abençoe

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade