PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Medicando na dose certa
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Medicando na dose certa

Medicando na dose certa

01/08/2014
  747   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

É uma preocupação de todo o pediatra assegurar que os pais ou cuidadores darão a dose correta da medicação. Antigamente se usa a medida de colheres, como das de chá, de café, de sopa etc. Isto causava uma diferença muito grande.

Hoje em dia os pais são muito ocupados colocam em risco ao fazer erros de dosagem na medicação. De acordo com um estudo realizado nos EUA e publicado na revista Pediatrics de agosto, cerca de 40% dos pais medicam incorretamente a dose da medicação, e, finalmente, 41% cometeu um erro na medição que seu pediatra havia prescrito.

Parte da razão pela qual os pais podem ficar confusos sobre como dosar medicações prescritas com precisão é que uma série de unidades de medida, como mililitros, colheres de chá e miligramas, podem ser utilizados para descrever a dose da criança como parte do aconselhamento por seu médico ou farmacêutico, ou quando a dose é mostrada no rótulo do frasco de medicamento.

Devido a preocupações sobre estas questões, o uso do mililitro como unidade padrão único de medição para pediátricos medicamentos líquidos tem sido sugerida como uma estratégia para reduzir os erros de medicação por organizações como a Academia Americana de Pediatria (AAP), os Centros de Controle de Doenças (CDC).

Neste estudo – em comparação com os pais que usaram unidades apenas mililitros – pais que usaram unidades de colher de chá colher de sopa ou para descrever a dose de seu filho de medicamento líquido teve o dobro de chances de cometer um erro na medição da dose pretendida. Os pais que descreveram a sua dose usando colheres de chá ou colheres eram mais propensos a usar uma colher de cozinha a dose, em vez de um instrumento padronizado como uma seringa oral ou conta-gotas, ou ainda um copo de medida.

Mesmo aqueles que utilizaram instrumentos padronizados ainda eram mais propensos a fazer uma dosagem, se eles relataram a dose do seu filho usando unidades de colher de chá ou colher de sopa. Pais acabam misturando termos como mililitro, colher de chá e colher de sopa de contribuir para mais de 10.000 atendimentos a cada ano.

Os autores do estudo concluem que a adoção de uma unidade só de mililitro de medição pode reduzir a confusão e diminuir os erros de medicação, especialmente para os pais com baixa instrução. Isto deve ser levado em conta quando os pais fazem consultas com médicos estrangeiros, como o caso dos médicos cubanos aqui no Brasil.

Aos pais que nos consultam, procuramos explicar as receitas e mostrar como dosar a medicação, com isto queremos diminuir a dosagem errada e aumentar a eficácia e segurança do tratamento.

Autor: Dr. José Luiz Setúbal
Fonte: Pediatrics agosto 2014 – Article
“Unit of Measurement Used and Parent Medication Dosing Errors”

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o tratamento médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

 

 

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade