PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Programa de Educação Individualizada para crianças autistas
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Programa de Educação Individualizada para crianças autistas

Programa de Educação Individualizada para crianças autistas

07/12/2018
  2632   
  1
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

A Academia Americana de Pediatria orienta os pais de crianças autistas a procurarem grupos especializados em acompanhamento de crianças com a condição do Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Essa não é a realidade no Brasil, mas é interessante, de qualquer forma, saber como funciona. Para determinar exatamente quais serviços seu filho precisa, você trabalhará com uma equipe de especialistas para preencher um documento escrito conhecido como Programa de Educação Individualizada (PEI).

Toda criança que recebe serviços de educação especial deve ter um programa de educação individualizada. O PEI é o roteiro educacional para crianças com deficiências. Ele especifica as metas do seu filho e descreve a educação, os serviços e as ajudas complementares exatas que o distrito escolar fornecerá ao seu filho.

Os pais que acham que seu filho pode se beneficiar de serviços de educação especial devem solicitar uma avaliação do PEI por escrito. Seu pediatra também pode ajudar a redigir uma carta de solicitação. Os pais devem trabalhar com o pessoal do PEI de seus filhos para ajudar nessa transição. Você pode começar este processo quando seu filho completar dois anos.

Um programa de educação individualizado é escrito após uma avaliação. Durante a avaliação, os níveis atuais de desempenho são estabelecidos e documentados. Para ser elegível para serviços de educação especial, seu filho deve ser identificado com uma deficiência reconhecida, existem 14 categorias de deficiências diferentes segundo a Lei de Educação de Indivíduos com Deficiências do Departamento de Educação dos EUA (IDEA) e a deficiência deve afetar adversamente seu desempenho educacional.

O PEI deve ter várias informações importantes. Deve incluir:

1- Os níveis atuais de desempenho do seu filho;
2- Metas mensuráveis ​​para o ano letivo;
3- Quando os relatórios sobre o progresso do seu filho serão fornecidos;
4- Quão bem seu filho é capaz de funcionar na escola;
5- Como seu filho será incluído com colegas com desenvolvimento típico.

Além disso, se o seu filho se qualificar para os serviços do ano letivo, o PEI deve expor os tipos de intervenções que o seu filho deve receber quando a escola não está em funcionamento. O PEI estabelece datas e locais de quando os serviços serão iniciados, onde serão realizados e por quanto tempo durarão.

O PEI também deve discutir o que será feito quando as necessidades do seu filho mudarem. Além disso, o PEI pode descrever se o seu filho recebe “serviços relacionados”, como transporte especial, terapia da fala, terapia ocupacional e aconselhamento.

O PEI é escrito de forma colaborativa por um grupo – geralmente chamado de é composta por:

  • Pais da criança;
  • Professor de educação regular;
  • Professor de educação especial;
  • Psicólogos;
  • Terapeutas;
  • Administrador escolar;
  • Possivelmente outro pessoal da escola.

Uma reunião para discutir o programa de educação individualizado deve ser realizada dentro de 30 dias após a escola determinar que uma criança precisa de serviços de educação especial. Os pais podem convidar qualquer pessoa para esta reunião, incluindo pessoal como um defensor ou o gerente de caso da criança do programa. O PEI é avaliado pelo menos a cada ano para determinar se as metas estão sendo atingidas e podem ser ajustadas se as necessidades do seu filho mudarem.

Infelizmente, pesquisas descobriram que muitos PEIs para crianças com transtornos do espectro do autismo (TEA) estão faltando mesmo nos EUA e não atendem às recomendações do Conselho Nacional de Pesquisa Americano ou aos requisitos do IDEA.

Muitos PEIs omitem informações importantes e podem não prestar serviços a uma criança fora do ano letivo tradicional. Muitos não descrevem adequadamente como as metas devem ser medidas ou como certas metas ajudarão a criança na escola.

Muitos PEIs também falham em dizer como os professores pretendem motivar a criança ou como envolvem a criança em tarefas adequadas ao desenvolvimento ou brincadeiras. Muitos PEIs não incluem preocupações dos pais.

Um bom livro para começar é o Educating Children with Autism, publicado pela Comissão de Intervenções Educacionais para Crianças com Autismo do Conselho Nacional de Pesquisa dos EUA. Você também pode querer visitar o Departamento de Educação dos EUA para obter recursos relacionados à IDEA e regras e regulamentos relativos ao processo do PEI em http://idea.ed.gov .

Como se pode ver, mesmo em países ricos e com direitos individuais garantidos, a situação das famílias e das crianças com TEA ainda é difícil.

Saiba mais sobre autismo no blog do Hospital Infantil Sabará:

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte Distúrbios do espectro do autismo: o que todo pai precisa saber (Copyright © American Academy of Pediatrics 2012)

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade