PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Puberdade Precoce: Quando a puberdade começa cedo
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Puberdade Precoce: Quando a puberdade começa cedo

Puberdade Precoce: Quando a puberdade começa cedo

20/06/2017
  1964   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

A puberdade precoce é um problema que parece estar aumentando e que pode atingir crianças muito pequenas, principalmente meninas, necessitando acompanhamento especializado e informação para a família.

Suas principais consequências são:

1- Transtornos psicológicos

2- Comportamento; maior risco de abuso sexual;

3- Baixa estatura quando adulto;

4- Maior risco de obesidade, hipertensão, diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral e certos tipos de câncer – atribuído à exposição precoce ao hormônio estrógeno.

O que é puberdade precoce?

A puberdade é definida como a presença de características sexuais secundárias: desenvolvimento da mama em meninas, pelos pubianos e aumento do tamanho do pênis e dos testículos em meninos.

Nas meninas, o primeiro sinal de puberdade é o surgimento do broto mamário e, nos meninos, o aumento do tamanho dos testículos. Nesta fase também surgem os pelos pubianos, pelos axilares, odor axilar, acne e aumento da oleosidade da pele. A primeira menstruação, chamada de menarca, ocorre em média dois anos depois do aparecimento das mamas.

Considera-se como precoce a puberdade que surge antes dos 8 anos em meninas e dos 9 anos em meninos; e atrasada, a puberdade que tem início após os 13 anos em meninas e após os 14 anos, em meninos.

Quais são os sinais da puberdade precoce?

Meninas: desenvolvimento progressivo da mama, aceleração do crescimento e menstruação precoce (geralmente 2-3 anos após o aparecimento dos seios)

Meninos: aumento do pênis e dos testículos, aumento da musculatura e dos pelos do corpo, aceleração do crescimento, aprofundamento da voz

O que causa a puberdade precoce?

Na maioria das vezes, quando a puberdade ocorre cedo, é apenas uma aceleração do processo normal; em outras palavras, o alarme toca muito cedo porque o relógio biológico está funcionando mais rápido do que o esperado. Ocasionalmente, a puberdade pode começar cedo por causa de uma anormalidade na glândula pituitária ou na porção do cérebro que controla a hipófise (hipotálamo). Esta forma de puberdade precoce é chamada puberdade precoce central, ou CPP.

Raramente, a puberdade ocorre cedo porque as glândulas que fazem hormônios sexuais, os ovários em meninas e os testículos em meninos, começam a trabalhar por conta própria, mais cedo do que o normal. Isso é chamado de puberdade precoce periférica (PPP).

Nos meninos e meninas, as glândulas suprarrenais, pequenas glândulas que se situam em cima dos rins, podem começar a produzir hormônios masculinos chamados andrógenos adrenais em idade precoce, causando pelos pubianos e / ou axilares e odor corporal antes dos 8 anos de idade. Finalmente, a exposição a cremes ou medicamentos contendo estrogênio ou androgênio, prescritos ou sem receita médica, pode levar à puberdade precoce.

Como é diagnosticada a puberdade precoce?

Quando você consulta um médico pelas preocupações sobre puberdade precoce, além de rever o gráfico de crescimento e examinar o seu filho, alguns outros exames podem ser realizados, incluindo exames de sangue para verificar os hormônios pituitários, que controlam a puberdade (hormônio luteinizante, chamado LH, e Hormônio folículo-estimulante, chamado FSH), bem como os níveis hormonais sexuais (estradiol ou testosterona) e às vezes outros hormônios.

Uma radiografia da mão esquerda e do pulso, conhecida como avaliação da idade óssea, pode ser feita para ter uma ideia melhor de quão longe a puberdade está, com que rapidez ela está progredindo e como ela pode afetar a altura que seu filho atinge quando adulto. Se os exames de sangue mostrarem que o seu filho tem CPP, uma ressonância magnética do cérebro pode ser realizada para se certificar de que não há nenhuma anormalidade subjacente na área da glândula pituitária.

Como é tratada a puberdade precoce?

Seu médico pode oferecer tratamento se for determinado que seu filho tem CPP. No CPP, o objetivo do tratamento é desligar a produção da glândula pituitária de LH e FSH, que irá desligar esteroides sexuais. Isso irá retardar o aparecimento dos sinais da puberdade e atrasar o início dos períodos em meninas.

Em alguns, mas não em todos os casos, o CPP pode causar falta de estatura quando adulto, fazendo o crescimento parar muito cedo, e o tratamento pode ser benéfico para permitir mais tempo para crescer. A medicação precisa estar presente em um nível contínuo e sustentado, por isso é administrada como uma injeção mensal ou a cada 3 meses ou através de um implante que libera a medicação lentamente ao longo de um ano.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte:

  1. Copyright © 2014 Academia Americana de Pediatria e Pediatric Endocrine Society
  2. http://www.sbp.com.br/src/uploads/2016/09/Puberdade-Precoce.Leila_.Ve4_.pdf
  3. http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2014/03/entenda-quais-sinais-podem-indicar-puberdade-precoce-nas-criancas.html

 

 

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade