PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Quando se cuida do adulto, melhora a saúde da criança
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Quando se cuida do adulto, melhora a saúde da criança

Quando se cuida do adulto, melhora a saúde da criança

10/01/2018
  606   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Gosto sempre de mencionar que somos uma Fundação sem fins lucrativos e que tem como objetivo maior a saúde infantil.

Na minha vida profissional desde a faculdade, atendi pessoas carentes. Na Santa Casa dos anos 70, na era pré SUS, atendíamos pessoas sem nenhum recurso graças ao poder da Misericórdia que move as Santas Casas pelo Brasil inteiro. Fiz toda minha carreira na medicina suplementar e há quase 15 anos me dedico ao terceiro setor, ou seja, basicamente às ações de filantropia. Quis o meu destino que fosse Provedor da Santa Casa de SP por 2 anos, quando pude acompanhar mais de perto o descalabro da saúde pública no Brasil todo. Nessa época também pude tomar conhecimento de projetos muito interessantes que são feitos.

Essa introdução me veio à cabeça quando li o artigo “Efeitos adversos das expansões de Medicaid para Adultos no Uso de Serviços Preventivos das Crianças” na edição de dezembro de 2017 de Pediatrics. As crianças de famílias de baixa renda cujos pais estão matriculados em Medicaid (uma espécie de SUS para pessoas de alta vulnerabilidade nos EUA) são mais propensas a receber o mesmo número de visitas recomendadas para crianças bem-sucedidas.

O estudo examinou cerca de 50 mil pares pais-filho e seu estado de saúde. Os pesquisadores descobriram que a matrícula dos pais no Medicaid foi associada a uma probabilidade 30% maior da criança receber pelo menos uma visita anual de um profissional de saúde infantil. Essas visitas servem como a principal plataforma para a prestação de serviços preventivos, e as crianças que recebem essas visitas tem uma chance bem maior de completar o esquema de vacinação e são menos propensas a internações evitáveis.

Os EUA são o país mais rico do mundo, mas sua saúde é basicamente privada, tendo direito à medicina pública (medicaid ou mediccare), crianças menores de 6 anos, idosos e famílias que vivem abaixo da linha da pobreza. O chamado Obamacare visava colocar mais pessoas dentro desse sistema incluindo um maior número de pessoas vulneráveis. Como fica demonstrado, seja os EUA ou o Brasil, precisamos apoiar mais a prevenção e promoção da saúde.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Pediatrics December 2017

Spillover Effects of Adult Medicaid Expansions on Children’s Use of Preventive Services

Maya Venkataramani, Craig Evan Pollack, Eric T. Roberts

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade