PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Redes sociais são para crianças?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Redes sociais são para crianças?

Redes sociais são para crianças?

01/03/2018
  728   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Mais uma polêmica se instala sobre as redes sociais. O Messenger Kids, aplicativo de mensagens voltado especialmente para crianças foi lançado nos EUA em dezembro de 2017 pelo Facebook, e é o alvo de protesto. Organizadas pela Campanha por uma Infância Livre de Comerciais, 19 organizações, entre as quais a Common Sense Media e a Public Citizen, enviaram uma carta aberta para Mark Zuckerberg, (presidente do Facebook).

No texto assinado por pediatras, psiquiatras e educadores afirma que esta é uma iniciativa irresponsável que estimula as crianças a usar o Facebook desde pequenas e que um crescente número de estudos mostra que o uso excessivo de mídias sociais é danoso para crianças e adolescentes, o que torna bastante provável que o novo aplicativo prejudique o desenvolvimento saudável dessas crianças, diz a carta.

O Mundo está mudando freneticamente, o fenômeno das mídias sociais é algo que veio para ficar, cada vez mais as pessoas se comunicam através delas, seja no âmbito pessoal, seja no âmbito profissional. Em muitos lugares existem grupos de WhatsApp, a plataforma de comunicação mais usado no Brasil. Ela reúne pais de escolas, amigos, médicos que dão plantão em algum hospital, para citar alguns exemplos. E as crianças vendo tudo isso, será que não teriam a mesma vontade, o mesmo desejo de conversar com seus amigos através delas?

Não sou defensor de mídias sociais, mas vejo muitos benefícios em usá-las. Não sou contra uso de aparelhos como tablets e smartphones por crianças, mas acho que os pais precisam regular o seu uso.

Outro dia conversando com meu neto Thomaz de oito anos, ele me disse que queria ser Youtuber quando ele crescesse e me mostrou uma série de programas de youtubers voltados para crianças. Na televisão passa uma propaganda de uma fornecedora de serviços digitais que aparece um garoto que é um youtuber, todos o chamam de tampinha, parece ser bullying, mas quando ele chega em casa e liga o computador vira o Tampinha, seu nome artístico de youtuber.

Não tenho uma opinião formada sobre o Messenger Kids, mas não assinaria uma carta em movimento contra. Acho que os pais devem tomar as rédeas da educação e formação de seus filhos. Devem escolher se darão ou não o tablet ou o smartphone, devem escolher quais canais e programas da TV são adequados para seus filhos. Devem determinar quanto tempo eles podem ver TV, jogar games ou usar as telas. Para orientá-los existem pediatras, psicólogos, educadores, as escolas e até as próprias redes sociais, mas a decisão é deles e não deve ser tomada porque todo mundo deixa ou faz, a decisão deveria ser fruto de uma reflexão séria sobre o assunto.

“Meu ponto é que não é porque nos imaginamos agindo em nome do bem que estamos autorizados a impor nossas visões de mundo a quem delas não deseja compartilhar. Sem o reconhecimento de que nem tudo é uma verdade absoluta e de que nem toda verdade se aplica a todos (o mundo é um lugar complexo), a própria ideia de fazer o bem fica comprometida”, diz Helio Schwartsman no final de seu editorial e que uso aqui para terminar meu post.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte:

https://messengerkids.com/

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/helioschwartsman/2018/02/o-bem-o-messenger-e-as-criancas.shtml

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/01/1954596-messenger-kids-do-facebook-sofre-criticas.shtml

https://www.commonsensemedia.org/blog/new-strategies-to-get-kids-to-create-media-not-just-consume-it

 

 

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade