PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Como a inteligência artificial afetará as nossas crianças?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Como a inteligência artificial afetará as nossas crianças?

Como a inteligência artificial afetará as nossas crianças?

15/05/2024
  307   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

A inteligência artificial (IA) está aí e não se engane: veio para ficar, mudando rapidamente a forma como trabalhamos, nos divertimos e nos comunicamos. Mesmo que o nosso presidente fale as besteiras habituais, diga que está cansado de ouvir sobre IA e que queira falar mais de inteligência natural, ele não mudará o rumo das coisas.

Embora a IA tenha potencial para ajudar a resolver problemas complexos, você provavelmente também já ouviu sérias preocupações sobre ela e, especialmente, em relação as maneiras pelas quais ela pode mudar a vida de crianças e adolescentes.

Lendo um artigo sobre assunto, publicado pelo comitê de comunicação da Academia Americana de Pediatria, resolvi escrever uma adaptação para nosso meio.

O que exatamente é inteligência artificial? Como funciona a IA?

A IA tenta reproduzir o cérebro humano – como reunimos fatos, descrições, comentários, imagens (e muito mais) e damos sentido a tudo isso para concluir uma tarefa específica. A diferença é que a IA reúne as informações que ela busca e consegue na WEB, classificando-as e tornando-as imediatamente acessíveis para nós. No entanto, ao contrário do conhecimento humano, não tem a capacidade de ligar novas informações a todas as nossas outras experiências de vida.

A tecnologia de IA está em desenvolvimento desde meados da década de 1950. No entanto, graças aos avanços recentes, as ferramentas baseadas em IA estão desenvolvendo rapidamente, a tornando parte da nossa vida quotidiana. Por exemplo: quando você entra em contato com o atendimento ao cliente, a IA pode ajudar a responder às suas perguntas. Ao explorar notícias internacionais, as palavras que você ouve ou lê podem ser traduzidas para o seu idioma preferido pela IA. No geolocalizador do carro que procura o melhor caminho ela também está lá. Esses são exemplos que qualquer um pode já ter experimentado.

E a IA que algumas crianças usam para fazer o dever de casa?

IA generativa é uma tecnologia que cria conteúdo que, no passado, só poderia vir de humanos. Por exemplo: em vez de se sentar para redigir um relatório, um redator pode usar o ChatGPT para apresentar fatos relevantes e sugestões de palavras. Um artista pode criar o que parece ser uma foto ou desenho original inserindo uma breve descrição em um programa baseado em IA.

É fácil ver por que algumas crianças usam IA para ajudá-las nas tarefas escolares. Elas podem encontrar fatos e pesquisar entre milhões de gráficos e imagens para aprender mais sobre um assunto. A IA também alimenta programas gramaticais que podem verificar seu trabalho para corrigir erros de escrita. Muitas escolas já têm regras sobre como a IA pode ser usada para trabalhos de casa e redação, por isso, é importante verificar com os professores. Os adolescentes também precisam aprender a serem honestos sobre quando usaram IA nas tarefas.

Como as crianças estão aproveitando a IA?

Como salientaram os especialistas em saúde infantil do UNICEF, as crianças de todo o mundo utilizam a IA quase diariamente. A maioria dos brinquedos, jogos e plataformas de internet feitas para crianças dependem da tecnologia de IA. Embora ela esteja avançando mais rapidamente do que se esperava, a maioria das nações ainda não considerou como a IA irá afetar o bem-estar social e emocional das crianças nem dos adultos de maneira geral. Serão necessárias muito mais pesquisas, mas vejam esses primeiros estudos sobre IA e crianças (eles já apontam para várias preocupações):

  • As crianças pequenas podem partilhar informações pessoais com plataformas de IA. Estudos mostram que os pequenos costumam conversar com alto-falantes inteligentes (alexa e outros), contando histórias pessoais e revelando detalhes que os adultos podem considerar privados.
  • Eles podem presumir que as plataformas de IA são muito parecidas com as pessoas. Um estudo descobriu que crianças entre 3 e 6 anos acreditavam que alto-falantes inteligentes tinham pensamentos, sentimentos e habilidades sociais. Apenas algumas crianças presumiram que os oradores eram realmente humanos. Isso pode afetar a forma como as crianças aprendem a interagir com outras pessoas. Elas podem confiar mais na IA do que nos humanos.
  • Outro estudo descobriu que as crianças achavam que os alto-falantes inteligentes eram mais confiáveis ​​do que as pessoas quando se tratava de responder a perguntas baseadas em fatos, como: “Quem foi o primeiro presidente dos EUA a dirigir um carro?”.
  • Muitos adolescentes usam IA diariamente. Os adolescentes são grandes fãs da IA ​​generativa que os ajudam a escrever ensaios e relatórios e a criar imagens e vídeos para compartilhamento social (entre centenas de outros usos possíveis). No entanto, apenas um em cada quatro pais cujos filhos adolescentes usam IA sabem que o fazem.

Quais são os benefícios da IA ​​para crianças e famílias?

Há muitas maneiras pelas quais essa tecnologia pode ajudar as crianças a aprenderem e crescerem.

  • É uma ferramenta valiosa para aprender. A IA pode ser usada para adaptar aulas e experiências de aprendizagem às necessidades individuais de crianças e adolescentes. E, embora não seja um bom substituto para uma conversa ao vivo, pode ajudar as crianças a melhorarem as suas competências linguísticas e até a aprenderem novas línguas.
  • Pode promover a criatividade. Vivemos em um mundo visual, por isso, as crianças precisam de formas de expressar as suas ideias através de fotos, imagens, gráficos e muito mais. A IA não é valiosa apenas para artistas iniciantes, mas também para crianças que desejam criar exibições de dados, gráficos, desenhos simples e outros recursos visuais.
  • Pode motivar e envolver as crianças de novas maneiras. A IA pode ser interativa e divertida para as crianças, oferecendo novas maneiras de aproveitar e explorar o mundo.

E quais são os perigos potenciais da IA ​​para os nossos filhos?

Apesar de todas as promessas que representam, as plataformas de IA também podem prejudicar crianças e famílias.

  • Podem espalhar ódio, preconceitos e estereótipos. Como a IA “aprende” com tudo o que encontra na internet, as plataformas refletem os mesmos preconceitos que ameaçam nos dividir e nos alienar. Estudos extensos mostram que o conteúdo gerado pela IA promove estereótipos e falsidades.
  • Eles podem corroer a privacidade. A IA coleta uma enorme quantidade de dados sobre nós, muitas vezes sem que saibamos. Por exemplo: foi encontrado um brinquedo para gravar conversas entre pais, filhos e qualquer outra pessoa próxima, com a capacidade de transmitir dados dessas conversas a terceiros.
  • Eles podem inundar as crianças com mensagens de venda. A IA nos segue na internet, anotando o que gostamos e nos servindo mais do mesmo. O histórico de pesquisa de seus filhos pode torná-los alvo de campanhas publicitárias incessantes que você preferiria que eles não vissem.
  • Eles podem ser usados ​​para intimidação e fraude. A IA generativa pode ser usada para criar imagens falsas ou distorcidas de um adolescente ou de alguém que ele conhece. Os nus falsos que têm sido usados ​​para atacar e envergonhar muitos adolescentes, chamados de deepfakes, e a clonagem de voz podem ser usados ​​para ameaçar crianças e levá-las a realizar ações que normalmente nunca considerariam.

Os legisladores estão agindo para nos proteger?

É claro que a IA veio para ficar. Mas, aqui, a legislação não acompanhou o crescimento tecnológico.

No Brasil, o artigo 216-B do código penal diz: “Produzir, fotografar, filmar ou registrar, por qualquer meio, conteúdo com cena de nudez ou ato sexual ou libidinoso de caráter íntimo e privado sem autorização dos participantes”. A pena para esse crime varia entre seis meses e um ano de prisão e multa.

O que fazer com isso? Países do mundo todo discutem a regularização da IA, mas ainda não existem leis específicas para o caso de “nudes”, por exemplo. Se as nossas autoridades não tomarem providências ou se a sociedade não discutir o enfrentamento do problema, a onda pode se espalhar.

O que posso fazer para proteger meus filhos dos riscos da IA?

A IA é um alvo móvel, por isso, pode ser difícil definir diretrizes saudáveis ​​para seus filhos. Aqui, estão algumas sugestões de bom senso para você considerar. Você também pode compartilhá-las com professores, treinadores, vizinhos e líderes comunitários que trabalham com seus filhos.

  • Converse com seus filhos sobre IA. Adapte o que você diz à idade e ao nível de compreensão de cada um deles.
  • Você não quer assustar uma criança, mas pode alertá-la de que o alto-falante inteligente da sua cozinha não é o mesmo que um amigo de confiança. Fale sobre as diferenças entre pessoas e assistentes digitais – ou entre conversas ao vivo com amigos e familiares e bate-papos nas redes sociais.
  • Com os adolescentes, procure uma discussão aberta sobre privacidade, preconceito, bullying e outras questões de segurança online. Não faça sermões e não tente cobrir todos os aspectos da IA ​​de uma só Peça a opinião deles e mantenha a mente aberta. Isso pode gerar discussões que os ajudarão a aprenderem juntos.
  • Ensine as crianças mais velhas a gerenciar a privacidade online. Explique como elas podem gerenciar cookies, limpar históricos de navegação e bloquear usuários de redes sociais ou mensagens de marketing que elas não queiram ver.
  • Experimentem a IA juntos. Considere testar um aplicativo baseado em IA, como ChatGPT ou Facetune, junto com seus filhos. Isso pode lhe dar a oportunidade de discutir como funciona e apontar quaisquer questões que lhe digam respeito.
  • Incentive a curiosidade e o pensamento crítico. Desafie seus filhos a procurarem sinais de preconceito no conteúdo online. Por exemplo: você pode criar um jogo para identificar coisas que parecem reais versus aquelas que parecem falsas. Pergunte às crianças de onde elas acham que vêm as informações ou imagens. A pessoa, empresa ou grupo que os compartilha tem um objetivo em mente? Que razões temos para confiar (ou desconfiar) no remetente?
  • Fale sobre plágio. Em uma época em que qualquer pessoa pode recortar e colar conteúdo e passá-lo como se fosse seu, as crianças precisam entender o conceito de trabalho original. Explique como eles podem usar as informações online como ponto de partida para o seu próprio pensamento. Certifique-se de que eles entendem que copiar ou apresentar palavras, imagens e ideias de outras pessoas sem lhes dar crédito é errado (e, muitas vezes, ilegal).

O futuro da IA ​​e da proteção das crianças

Temos um longo caminho a percorrer para perceber os benefícios da IA ​​e, ao mesmo tempo, proteger os nossos filhos dos riscos que ela pode representar. As barreiras de proteção de que necessitamos devem refletir o tremendo poder da IA ​​para moldar a nossa vida cotidiana.

O diálogo contínuo deve reunir as famílias com as escolas, os prestadores de cuidados de saúde, as organizações desportivas e artísticas e outras organizações comunitárias, para que possamos ajudar as crianças a se beneficiarem da IA, minimizando, ao mesmo tempo, os seus potenciais danos.

Fontes:

American Academy of Pediatrics Council on Communications & Media (Copyright © 2024) Tiffany Munzer, MD, FAAP é pediatra de desenvolvimento-comportamental e pesquisadora de mídia digital na Universidade de Michigan.

https://www.camara.leg.br/noticias/1038114-projeto-preve-ate-8-anos-de-prisao-para-quem-usar-inteligencia-artificial-para-gerar-conteudo-sexual-com-criancas/

Saiba mais:

https://institutopensi.org.br/fique-atentoa-as-deepfakes-e-projeta-seus-filhos/

https://institutopensi.org.br/nudes-de-adolescentes-criados-por-inteligencia-artificial-ia-o-que-fazer/

https://institutopensi.org.br/avanco-tecnologico-da-inteligencia-artificial-x-comprometimento-etico-na-saude/

 

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

(CRM-SP 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com especialização na Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Gestão na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás, David e Benjamim.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.