PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Fique atento(a) às deepfakes e proteja seus filhos
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Fique atento(a) às deepfakes e proteja seus filhos

Fique atento(a) às deepfakes e proteja seus filhos

16/11/2023
  658   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Os avanços conquistados pela Inteligência Artificial também deram origem a um fenômeno conhecido por deepfakes, que pode ser entendido como uma forma de notícias falsas. As deepfakes são criações digitais realistas que fundem, combinam, substituem ou sobrepõem imagens, vídeos ou áudios para criar arquivos falsos, podendo resultar em uma infinidade de conteúdos publicados nas redes sociais.

A necessidade de pouco conhecimento técnico e equipamentos simples para criar deepfakes significa que esses conteúdos podem ser facilmente produzidos por qualquer pessoa e distribuído virtualmente sem nenhuma supervisão ou regularização.

As implicações sociais para essas questões são significativas e podem ter um longo alcance. Precisamos ficar atentos ao impacto negativo, identificar e discutir profundamente sobre o assunto para prevenir danos no futuro.

Uma campanha da Deutsche Telekom e da agência criativa adam&eveBERLIN demonstra os riscos crescentes que os pais, mães e familiares podem enfrentar com o uso indevido de dados e da inteligência artificial. A Telekom salienta sobre a urgência do tratamento responsável dos dados pessoais no mundo digital.

Muitas vezes, isso acontece de forma descuidada: uma vez publicados na internet, os dados pessoais ficam disponíveis em todo o mundo e sem limites. Com a campanha #ShareWithCare (#CompartilheComCuidade), a Deutsche Telekom pretende sensibilizar para o tratamento responsável de fotos e dados. A Telekom ainda chama a atenção para o “sharenting” – prática de compartilhamento excessivo de informação nas redes sociais que os pais postam em relação aos seus filhos.

Esses pontos podem indicar que, como sociedade, precisamos estar preparados para lidar com o surgimento de deepfakes em qualquer nível. O fato de não termos testemunhado quaisquer impactos graves até agora deve-se à sua fase inicial de desenvolvimento, que ainda apresenta imperfeições. Para resolver o problema, é urgentemente necessária uma combinação de tecnologia, educação, formação e governação.

 

Referências

  1. Karnouskos, “Artificial Intelligence in Digital Media: The Era of Deepfakes,” in IEEE Transactions on Technology and Society, vol. 1, no. 3, pp. 138-147, Sept. 2020, doi: 10.1109/TTS.2020.3001312.

Deutsche Telekom. Sharenting. Disponível em: https://www.adsoftheworld.com/campaigns/sharenting

Dr. William Cabral

Dr. William Cabral

Geógrafo e Assessor Científico do Instituto PENSI, com doutorado em Geografia Física pela USP & Columbia University. É especialista em geoprocessamento e análise de dados.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.