PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Roupa de cama insegura ainda é a principal causa de mortes infantis inesperadas
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Roupa de cama insegura ainda é a principal causa de mortes infantis inesperadas

Roupa de cama insegura ainda é a principal causa de mortes infantis inesperadas

30/06/2021
  359   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Morte súbita do recém-nascido (SMSL) é um acontecimento terrível e, embora a frequência de síndrome da morte súbita na infância no Brasil seja inferior à da literatura mundial , o assunto necessita de atenção. Talvez esses números em nosso pais são justificados por um subdiagnóstico ou falta da implementação correta de protocolo de investigação por morte.

Os especialistas internacionais há muito tempo enfatizam a importância de manter os recém-nascidos em uma superfície firme para dormir e, de acordo com um estudo publicado pela revista Pediatrics, da Academia Americana de Pediatria em sua edição de abril, é por um bom motivo:  o estudo analisou as mortes repentinas de bebês (SMSL) de quase 5.000 bebês de 2011 a 2017 e descobriu que a maioria, quase 72 %, ocorreu em um ambiente de sono considerado “inseguro”. Enquanto 82% foram categorizados como inexplicados, a maioria dos que foram considerados “explicados” compartilhavam uma coisa em comum: roupa de cama macia. “Entre as mortes por sufocação explicadas e possíveis, 75 % resultaram de obstrução das vias aéreas atribuída a camas macias”, disse o estudo. O estudo também descobriu que apenas 1 a 2 % das mortes inexplicadas não tinham fatores de sono inseguro.

Roupas de cama inseguras são a causa da maioria das mortes inesperadas entre bebês, de acordo com um novo estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças. Camas macias como travesseiros, cobertores, protetores de berço e bichinhos de pelúcia continuam sendo a principal causa de asfixia acidental entre bebês com menos de quatro meses de idade.

Embora dormir junto com os filhos muitas vezes seja uma tática de último recurso para muitos pais com privação de sono, ainda representa sérios riscos para os bebês.

Apenas 1 por cento das mortes analisadas foram confirmadas como inexplicáveis ​​sem qualquer roupa de cama macia ou outras superfícies de sono inseguras. Os fatores para os outros 27 por cento não puderam ser determinados devido a informações insuficientes.

De acordo com a Academia Americana de Pediatria (AAP), uma morte SUID pode ser por asfixia via bloqueio das vias aéreas ou emaranhada em lençóis e cobertores, infecção, engasgo, lesão ou disfunção cardíaca ou metabólica. Quando a morte de um bebê não pode ser explicada, o bebê está determinado a ter morrido de Síndrome da Morte Súbita Infantil (SMSL).

Graças à campanha “De volta ao sono” na década de 1990, os casos de SUID diminuíram rapidamente quando os pais começaram a colocar os recém-nascidos para dormir de costas em vez de barriga. Quando a campanha começou em 1994, quase 4.700 bebês morreram de SUID no ano anterior. Em 2010, o número dessas mortes foi reduzido pela metade, de acordo com a Academia Americana de Pediatria.

Infelizmente, o número não diminuiu desde 2010. Especialistas em saúde pública acreditam que as mensagens sobre ambientes de sono seguro devem acontecer quando os pais ainda estão a espera dos filhos no periodo da gravidez e devem ser encorajados a sugerir um plano de sono seguro antes do nascimento do bebê.

A recomendação atual, se possível, é que os cuidadores mantenham o berço do bebê no quarto por pelo menos seis meses, de preferência até o bebê completar um ano. A mensagem de saúde pública “de costas”, é a melhor” posição de dormir, os cuidadores não podem esquecer que os bebes precisam de uma superfície firme e plana dentro de um berço com apenas um lençol justo.

Ser capaz de descansar quando você é um novo pai certamente não é fácil, mas você será capaz de respirar aliviado praticando hábitos de sono seguro com seu filho desde o primeiro dia.

Saiba mais:

 

 

 

 

Fontes:

Síndrome da morte súbita na infância no Brasil: fato ou fantasia?. Sao Paulo Med. J. [online]. 2008, vol.126, n.1, pp.48-51. ISSN 1806-9460.  https://doi.org/10.1590/S1516-31802008000100009.

 

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade