PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A importância da atividade física nos tempos atuais
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A importância da atividade física nos tempos atuais

A importância da atividade física nos tempos atuais

17/10/2023
  941   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Desde as épocas da Grécia Clássica, o dito “mens sana in corpore sano” (mente sã em corpo são) vem sendo repetido através dos séculos como um paradigma de uma vida saudável.

O sedentarismo é um problema de saúde pública, que afeta cada vez mais pessoas, inclusive as mais jovens. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que, antes da pandemia do coronavírus, 84% dos adolescentes brasileiros já não realizavam a quantidade recomendada de atividade física, que é de, pelo menos, 60 minutos por dia — para atingir essa meta vale tudo, desde praticar esportes até caminhar para ir à escola, brincar de pega-pega etc.

Um estudo americano avaliou os níveis de atividade física de alunos do 9º ano durante o primeiro ano após o ensino médio. Os pesquisadores realizaram revisões anuais de estudantes em 44 escolas, representando comunidades urbanas, suburbanas e rurais, e constataram que menos de 9% dos participantes somaram os 60 minutos ou mais recomendados de atividade moderada à vigorosa por dia. No entanto, notaram que os contextos sociais, como a frequência escolar, podem desempenhar um papel em níveis de exercício para adolescentes em transição para a vida adulta.

Em cidades como São Paulo, onde há preocupação com a violência, poucos lugares para a prática esportiva e pouco interesse das escolas públicas e privadas em promover atividades físicas diversas e interessantes para seus alunos, não temos uma cultura da atividade física como em outros países. Tudo isso para enfatizar o quanto uma vida sedentária é preocupante para a saúde.

Em uma edição da revista Pediatrics, de dezembro de 2017, uma pesquisa sugere que praticar um esporte único durante a infância, em comparação com aqueles que praticam uma variedade de esportes ou jogos recreativos, pode diminuir as chances de uma criança continuar participando de atividades atléticas durante a adolescência.

Outro estudo canadense, que teve duração de cinco anos, “Participação Desportiva Infantil e Desporto Adolescente”, acompanhou 756 crianças que começaram quando tinham entre 10 e 11 anos, perguntando três vezes por ano sobre a atividade física em que participaram fora da aula de ginástica. Durante o primeiro ano, 20% dos participantes praticavam só um tipo de esporte, 65% eram praticantes de vários esportes e 15% eram não-participantes de esportes. Cinco anos depois, aqueles que praticavam mais de um esporte tinham uma chance 50% maior de ainda participar de esportes, e eles eram menos propensos a se tornarem participantes não-esportivos do que aqueles que se especializavam em um único esporte.

O estudo também mostra que as crianças que não participaram de nenhum esporte na infância, normalmente permanecerão não participantes quando adolescentes. A nível internacional, os autores do estudo disseram que apenas 9% dos meninos e 2% das meninas com idades entre 5 e 17 anos recebem a atividade física recomendada de uma hora por dia, que é essencial para o desenvolvimento saudável. Encorajar a participação de esportes durante a infância, disseram, pode ser uma boa maneira de ajudar a corrigir isso.

Atividade física em crianças e adolescentes melhora a força e a resistência, fortalece os ossos saudáveis e músculos magros, desenvolve habilidades motoras e coordenação, reduz a gordura e promove o bem-estar emocional (reduz os sentimentos de depressão e ansiedade). As atividades devem ser apropriadas para a idade e variadas.

A recomendação diária de atividade física para crianças de 6 anos ou mais é de, pelo menos, 60 minutos por dia. Jogos ativos são os melhores exercícios para as crianças mais jovens. O tipo de atividade física deve ser de moderado a vigoroso. Vigorosa é a atividade que faz você respirar rápido e suar. Os 60 minutos não precisam ser feitos de uma só vez. A atividade física pode ser dividida em blocos de tempo mais curtos, como: 10 minutos pulando (3x) corda e 30 minutos no playground, totalizando os 60 minutos de atividade física. Se o seu filho(a) não está ativo(a), incentive a partir de agora.

 

Tipos de atividades para crianças e adolescentes (e pais, também!)

Exercícios aeróbicos, usam os grandes grupos musculares do corpo e fortalecem o coração e os pulmões.

Exercícios aeróbicos de intensidade moderada incluem:

  • Breve passeio a pé ou de bicicleta
  • Andar de bicicleta, patins ou skate
  • Dançar
  • Artes marciais, como karatê ou tae kwon do (pode ser vigorosa também)

Atividades aeróbicas de intensidade vigorosa incluem:

  • Pular corda
  • Artes marciais
  • Corrida
  • Futebol, natação, tênis ou basquete

Atividades Musculação (ou resistência) trabalham os grandes grupos musculares do corpo (pernas, quadris, costas, abdômen, peito, ombros e braços).

Exemplos de atividades de fortalecimento muscular incluem:

  • Jogos como o cabo-de-guerra
  • Flexões (com os joelhos no chão)
  • Exercícios de resistência com peso corporal ou resistência com bandas elásticas
  • Corda ou árvore de escalada

Exemplos de atividades de fortalecimento dos ossos incluem (podem ser aeróbico e atividades de fortalecimento muscular):

  • Pular, saltar, fazer ginástica ou pular corda
  • Corrida, tênis, vôlei ou basquete
  • Flexões, exercícios de resistência com peso corporal ou resistência com bandas elásticas

O treinamento de força (ou treinamento de resistência) usa uma resistência para aumentar a capacidade do indivíduo de exercer a força. Ela envolve o uso de aparelhos de musculação, pesos livres, bandas ou tubos, ou ainda o próprio peso corporal do indivíduo. Estes não devem ser os mesmos que adultos fazem em academias como elevação de pesos, de elevação de potência ou a construção do corpo, que não são recomendados para crianças. Verifique com o médico do seu filho(a) antes de iniciar quaisquer exercícios de treinamento de força.

Não deixe que seu filho(a) fique sentado(a) no sofá vendo TV ou jogando videogames. Incentive-o(a) a fazer atividade física! Se você não faz, use isso como um incentivo para iniciar e fazer atividades juntos.

Um estudo conduzido por pesquisadores do Departamento de Fisiologia da Unifesp apontou que a prática de atividade física na infância e na adolescência pode tornar os jovens mais inteligentes. A pesquisa, realizada com ratos, conclui que os exercícios físicos contribuem para aumentar a produção de novos neurônios no córtex e no hipocampo, áreas do cérebro responsáveis por funções como memória, processamento de informações e linguagem e emoções.

 

Fonte:

Fonte Energia No Energia Out: encontrar o equilíbrio certo para seus filhos (Copyright: © 2014 Academia Americana de Pediatria)

 

Saiba mais:

https://institutopensi.org.br/blog-saude-infantil/atividade-fisica-melhora-o-aproveitamento-em-matematica-e-linguagem/

https://institutopensi.org.br/blog-saude-infantil/maneiras-de-incentivar-seu-filho-fazer-atividade-fisica/

https://institutopensi.org.br/blog-saude-infantil/esportes-radicais-e-seus-riscos/

 

Vídeos:

https://www.youtube.com/watch?v=JW19eWuvxdk&t=11s

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

(CRM-SP 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com especialização na Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Gestão na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás, David e Benjamim.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.