PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
A cafeína afeta diferentemente meninos e meninas
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
A cafeína afeta diferentemente meninos e meninas

A cafeína afeta diferentemente meninos e meninas

05/08/2014
  527   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

O consumo de cafeína por crianças e adolescentes tem aumentado nos últimos anos, principalmente devido aos refrigerantes com cafeína e bebidas energéticas. Isto já foi motivo e temas de vários posts neste blog (veja abaixo).

Pesquisas anteriores demonstraram que a cafeína aumenta a pressão arterial e diminui a frequência cardíaca em crianças, adolescentes e adultos. Mas as perguntas permanecem, visto que o impacto da cafeína muda após a puberdade. Neste interessante estudo da revista Pediatrics, examina-se que os estágios de desenvolvimento mudam a forma como a cafeína afeta crianças e adolescentes.

Os pesquisadores descobriram que antes da puberdade, a cafeína afeta meninos e meninas da mesma maneira. No entanto, após a puberdade, as diferenças de gênero se sobressaem. Embora quando crianças, ambos são afetados pela cafeína, a pesquisa sugere que as meninas experimentam diferentes alterações de frequência cardíaca e pressão arterial e também se podem observar algumas diferenças durante seus ciclos menstruais.

Os autores ainda estudam para determinar se as diferenças de gênero nas respostas cardiovasculares à cafeína estão relacionadas a fatores fisiológicos, tais como hormônios ou fatores psicossociais, como a diferença de padrões de uso de cafeína ou uso de cafeína entre os pares.

De qualquer maneira, é preciso mostrar aos jovens os perigos da alta ingestão de cafeína, principalmente se associado ao álcool ou outros estimulantes.

 

https://institutopensi.org.br/2014/03/falando-de-cafeina/
https://institutopensi.org.br/2014/03/a-cafeina-invisivel/
https://institutopensi.org.br/2011/07/criancas-nao-devem-consumir-bebidas-energeticas/
https://institutopensi.org.br/2013/02/carnaval-alcool-e-energeticos/

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal
Fonte: Cardiovascular Responses to Caffeine by Gender and Pubertal Stage pediatrics – jun 2014

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade