PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Crianças com TDAH sofrem maior risco de atropelamento
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Crianças com TDAH sofrem maior risco de atropelamento

Crianças com TDAH sofrem maior risco de atropelamento

23/08/2011
  559   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Crianças, especialmente com Déficit de Atenção / Hiperatividade (DDAH) se distraem facilmente, sendo mais provável de serem atropeladas. No estudo, “Mediar Fatores associados a atropelamentos em Crianças com DDAH“, onde os pesquisadores estudaram 78 crianças de 7 a 10 anos que tem DDAH, em comparação com 39 crianças com desenvolvimento normal.

Pesquisadores determinaram que crianças com TDAH parecem seguir o comportamento apropriado (esperar antes de atravessar, olhar para a esquerda e direita), mas no final não processam a informação necessária para atravessar a rua com segurança em comparação com crianças com desenvolvimento normal.

Crianças com DDAH não escolhem locais com menos tráfego para atravessar as ruas, e se arriscam mais (menos tempo para chegar ao final da faixa de pedestres antes do próximo carro se aproximar), resultando em um ambiente mais perigoso.

Autores do estudo sugerem que os pediatras podem ajudar a evitar estas lesões de pedestres por triagem para sintomas de DDAH e monitoramento de risco dos pacientes para reduzir o risco de lesões e orientação aos pais das crianças diagnosticadas.

Enviado por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Pediatrics on line, July, 25 /2011

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • valeria disse:

    tenho um sobrinho que tem tres anos, ainda faz as necessidades na roupa e no chao apesar dos esforços para convence-lo a ir ao banheiro, é inquieto, pega agua na geladeira e derrama ppela casa, ou por cima dos moveis, faz birra quando lhe e negado algo e tem reações agessivas com a mae e avos que cuidam dele, quando brinca com outras crianças toma-lhes os brinquedo, muitas vezes parece divertir-se ao irritar a outra criança com tal atitude. sera que ele é normal, ou pecisa ser avaliado.

    • Equipe Sabará disse:

      Valeria, antes de qualquer coisa é importante saber se a criança recebe limites e orientações dos pais. Sem estes parâmetros é difícil orientar uma criança. Quanto ao problema das necessidades fisiológicas aliado aos outros comportamentos, recomendamos levá-lo ao pediatra para uma avaliação. Caso necessário, consulte também um psicólogo. Abraços! 🙂

    • dai disse:

      leva-lo em um medico seria o ideal , pode ser que por essas caracteristicas que seu sobrinho apresente o ideal seria um psiquiatra pois ele pode nao estou afirmando que seja um certo garu de autismo , vale a pena saber ….quanto antes melhor .

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade