PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Cuidado: acidentes infantis aumentam com as férias
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Cuidado: acidentes infantis aumentam com as férias

Cuidado: acidentes infantis aumentam com as férias

09/11/2011
  452   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Confira as principais dicas para evitar que os pequenos se machuquem

Como a chegada das férias escolares, o número de acidentes que envolve as crianças aumentam em cerca de 30%. Entre os principais atendimentos no pronto-socorro do Hospital Infantil Sabará, no bairro da Consolação, em São Paulo, estão queimaduras, intoxicações, quedas, afogamentos, atropelamentos e outros tipos de acidentes de trânsito.

De acordo com o cirurgião pediátrico João Gilberto Maksoud Filho, médico do Hospital Infantil Sabará, os pais devem dobrar a atenção, principalmente em relação às crianças com menos de 10 anos.  “Elas devem ser supervisionadas continuamente durante as brincadeiras dentro ou fora de casa”, alerta.

Em casa, a cozinha e a área de serviço são ambientes minados para os pequenos. Além do fogão e do botijão de gás, que podem gerar queimaduras graves, as crianças costumam se machucar com objetos cortantes, como facas e até utensílios de vidro, que se quebram com facilidade.  Já os baldes de água podem provocar afogamentos. E os coloridos produtos de limpeza costumam ser confundidos com sucos e refrigerantes, gerando intoxicações graves quando ingeridos.

Recentemente a morte da filha de 4 anos do ex-boxeador Mike Tyson na esteira de casa mostrou que os equipamentos de ginástica também podem ser um perigo para os pequenos. “Os fios desses aparelhos provocam choques e enforcamentos. E, se a crianças colocarem as mãos na esteira ligada, é queimadura na certa”, esclarece o especialista Maksoud.

No lar, os pais ainda devem tomar cuidado com tomadas descobertas, móveis pontiagudos ou de vidro, janelas sem proteção, remédios em locais acessíveis e escadas. “Felizmente é possível encontrar no mercado uma série de acessórios para tornar a casa mais segura, como protetores de quina e tomadas, portas de restrição para escadas, entre outros”, afirma Maksoud.

O especialista ainda aconselha a ficar sempre de olho nas crianças que brincam na rua, por causa do risco de atropelamentos ou brincadeiras com pipas e cabos elétricos.

“Crianças e adolescentes devem usar caneleiras protetoras e capacete quando forem andar de bicicleta ou skate. Os pais também não devem se esquecer dos coletes e boias essenciais nas piscinas”, comenta.

E, como muita gente, pega a estrada nesta época do ano, as cadeirinhas de trânsito e o uso de cinto de segurança e acomodação dos mais velhos no banco traseiro são essenciais. Com as cadeiras, 70% das crianças estão protegidas durante a locomoção dentro dos automóveis. “Se os pequenos não estiverem restritos às cadeirinhas podem se chocar com o pára-brisa, os bancos e as janelas, causando lesões internas graves. Em mais de 50% dos casos, a cabeça e o cérebro são lesionados em crianças vitimas de acidentes”, alerta o cirurgião pediátrico.

Por Dra Fátima Rodrigues Fernandes

Pulicado por Instituto Pensi

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade