PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Dia Nacional de Combate ao Sedentarismo
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Dia Nacional de Combate ao Sedentarismo

Dia Nacional de Combate ao Sedentarismo

10/03/2012
  614   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Saia do sofá, chame seu filho e curta a delícia das atividades ao ar livre!

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que as crianças a partir de 5 anos façam 1 hora de atividade física, no mínimo, em 5 dias da semana.

Será que seu filho faz 5 horas de exercícios por semana?

A falta de atividade física da criança que mora em grandes cidades é atualmente considerada pelos especialistas uma das principais causas da epidemia de obesidade infantil, que se dissemina em diversos países, inclusive no nosso. Um trabalho realizado na Cidade do México mostrou que o risco do aumento de peso caiu 10% para cada hora de atividade física de intensidade moderada ou forte, praticada diariamente pelo pequeno. Estudo semelhante conduzido na Carolina do Sul chegou à mesma conclusão: crianças mais ativas são mais magras do que aquelas que se movimentam pouco.

A atividade física não é sinônimo de esporte, portanto vale qualquer movimento desde queimada, taco, bola de gude, esconde-esconde, pega-pega, dança das cadeiras, vivo ou morto, patins, estátua, dançar, jogar bola, andar de bicicleta, pular corda, nadar, andar a cavalo, etc. São atividades que podem ser realizadas em parques, praças ou até mesmo em casa, se você não for sócio de um clube. Os pais devem achar um tempo na agenda corrida para brincar com seus filhos.

Vale lembrar o que já colocamos em outras postagens:

1- Crianças pequenas podem se divertir na areia, no playground, balanços, gangorras, trepa-trepa, sempre sob supervisão de um adulto;
2- A partir dos 7 anos, as crianças conseguem assimilar melhor as regras dos jogos;
3- O esporte, além de movimentar o corpo, fortalece o convívio social. A criança aprende a respeitar o amigo e as regras, a trabalhar em grupo e a ganhar e perder, coisas que levará para o resto da vida, assim como a saúde;
4- Já para os adolescentes (a partir 13 anos), o foco pode ser a competição se orientado por técnico e ou supervisor. Mas isso sempre depende da vontade e habilidade da criança, por isso não coloque seus sonhos ou frustrações para seu filho realizar.

No mundo das grandes cidades, como no Brasil, existe um medo da violência, do trânsito, fatores que acabam gerando crianças que vivem atrás das telas, seja da TV, do computador, do game, do celular, ou, em resumo, estamos criando pessoas sedentárias e obesas. Este recado serve para que os filhos e os pais descubram a delícia de brincar nos parques, em vez de ir ao shopping. Viva a lembrança de levantar uma pipa, jogar bola, andar de bicicleta, saia do sofá ou da cadeira do computador e curta uma vida menos sedentária.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade