PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
EU DEIXEI O MEU FILHO CHORAR!
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
EU DEIXEI O MEU FILHO CHORAR!

EU DEIXEI O MEU FILHO CHORAR!

27/10/2016
  1289   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Sim, eu deixei o meu filho chorar quando ele queria sair da cadeira do carro no meio de um trânsito.

Sim, eu deixei o meu filho chorar quando ele não queria tomar vacina.

Sim, eu deixei  o meu filho chorar quando ele queria sair da mesa antes de terminar  de comer.

Sim, eu deixei o meu filho chorar quando ele queria sair do berço na hora de dormir.

Sim, eu deixei o meu filho chorar quando ele passou para a caminha e toda a vez que levantava eu o levava de volta.

Sim, eu deixei o meu filho chorar quando ele quis um brinquedo na loja e eu não comprei.

Por outro lado, não deixei meu filho chorando quando caiu e bateu a cabeça, mas mesmo assim ele chorou!

Não deixei meu filho chorando quando estudou muito para prova e foi mal, mas mesmo assim ele chorou!

Não deixei meu filho chorando quando morreu o cachorro da avó, mas mesmo assim ele chorou!

Não deixei ele chorando quando brigou com os amigos da escola, mas mesmo assim ele chorou!

 

Hoje,

 

Sorrio quando ele entra no carro e logo coloca o cinto de segurança.

Sorrio quando  ele diz que quer ser pediatra.

Sorrio quando ele senta na mesa e me faz companhia no almoço.

Sorrio quando ele me dá boa noite e vai dormir no seu quarto, na hora combinada.

Sorrio quando ele junta as mesadas para comprar algo que deseja.

Sorrio quando ele me diz que não posso resolver TUDO por ele.

Sorrio quando ele me diz que cresceu e que eu não posso fazer TUDO por ele.

Sorrio quando penso que ele tem razão:

Não consegui impedir a dor da ferida na cabeça!

Não pude fazer a prova por ele!

Não fui capaz de trazer o cachorro de volta do céu!

Não apaguei a briga de sua memória!

 

Mas estive sempre COM ele, mesmo quando o deixei chorar!!!

Déborah Moss

Déborah Moss

Déborah Moss Psicologa, formada pela PUC- SP em 1998 Mestre em Psicologia do Desenvolvimento- USP Especialista em Neuropsicologia CEPSIC-HC Mãe de três filhos- ARIEL 12 anos, PATRICK 8 anos e ALICIA 4 anos.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade