PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Mas doutor foi só por um minuto!
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Mas doutor foi só por um minuto!

Mas doutor foi só por um minuto!

31/01/2012
  437   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Impedir que as crianças entrem na cozinha é uma das dicas para a prevenção de acidentes

Esta é a frase que sempre ouço como pediatra quando ocorre um acidente dentro de casa. Realmente é por um momento de desatenção, que ocorrem os acidentes com crianças.

Neste período em que as crianças estão de férias e passam boa parte do dia em casa, a atenção deve estar redobrada, e as medidas de prevenção devem ser utilizadas para evitarmos os acidentes previsíveis e deixarmos nossas casas mais seguras.

No nosso blog já publicamos vários artigos falando de prevenção de acidentes, mas não custa nada mencionar os mais comuns.

Os acidentes domésticos estão entre as maiores causas de internação e de procura por prontos socorros em todo o mundo, e não é diferente no Brasil, e entre as causas estão traumas, ferimentos cortantes, quedas, fraturas, intoxicações, queimaduras, envenenamentos, etc.

Entre as crianças de 0 a 4 anos, os acidentes mais comuns estão dentro de casa e ocorrem quedas, quando a criança está aprendendo a andar; traumas de cabeça, em quinas e mesas; queimaduras por encostar-se em tampas de fornos quentes ou puxar cabos de panelas com líquidos quentes; intoxicações por envenenamentos, por medicamentos, produtos de limpeza e de higiene.

Dos 4 aos 8 anos são acidentes fora de casa e nos quintais e jardins, parquinhos, com quedas de brinquedões, balanças, gangorras, roda roda; quedas em corridas; afogamentos em piscinas grandes ou pequenas; queda de janelas, escadas, etc.

Já nas fases seguintes, os acidentes ocorrem mais em atividades físicas como esportes, bicicletas, skates, patins, escaladas; atropelamentos por atividades nas ruas; intoxicações por drogas (álcool, tabaco e outras ilícitas) etc.

Estar atento a guarda de medicamentos, produtos de limpeza, mantendo em lugar de difícil acesso, de preferência trancados. Colocar redes em janelas, porta em escadas. Acompanhar de perto e com atenção as atividades dos filhos em piscinas, jardins e playgrounds, além da supervisão em atividades mais radicais (bicicleta, skate, patins, escaladas etc), fazendo com que usem equipamento de proteção individual como os de ombros, joelhos, cotovelos, capacetes e óculos para cada esporte. Impedir que crianças pequenas frequentem cozinhas e áreas de fogo (lareiras, fornos, fogões, churrasqueiras). Ocultar tomadas, e sobretudo ensinar seus filhos sobre os perigos dos ambientes que eles vão, podem ser atitudes de prevenção para todos estes problemas.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade