PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Melhores dicas para sobreviver às birras
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Melhores dicas para sobreviver às birras

Melhores dicas para sobreviver às birras

25/02/2016
  662   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

A birra é uma parte normal do desenvolvimento. Elas acontecem entre as idades de 1 e 3 anos. Algumas crianças são muito birrentas, enquanto alguns não são. Muitas crianças têm mais acessos de raiva antes e durante o tempo de desenvolvimento da linguagem. Antes de as crianças estarem totalmente verbais, acabam ficando frustradas por não se comunicarem, e nesse sentido de frustração ou de fome ou insatisfação, acessos de raiva podem ser uma maneira fácil de tentar conseguir o que precisam.

Às vezes é realmente difícil para nós lidar com essas birras. Aqui estão algumas recomendações para situações nas quais você não pode ignorar a birra do seu filho:

  • Se o seu filho está fisicamente em risco, como de correr para a rua ou em perigo, agarre-o firmemente e segure-o;
  • Se seu filho está batendo ou mordendo, impeça imediatamente e certifique-se de deixá-lo saber que isto não é aceitável, movendo-o para fora de uma situação ou tirando algum privilégio, como uma forma de punição.

Saiba que as birras tendem a melhorar depois da idade de três anos. Embora elas não desapareçam completamente, são raras após os cinco anos. Seu filho vai fazer birras para fazer as coisas que ela precisa normalmente e naturalmente entre as idades de 1 e 3 anos. Fale com o seu pediatra se você estiver preocupado com alguns desses comportamentos. Faça o seu melhor para manter a calma.

Oito dicas para sobreviver a uma birra:

  1. Dê ao seu filho a atenção suficiente e “ensine-o a ser bom.” Faça elogios específicos em momentos de sucesso. No entanto, não sinta culpa por seu filho ser mais birrento que outra criança. Personalidade é infundida em comportamentos, incluindo acessos de raiva.
  2. Durante um acesso de raiva, incentive o controle por meio de pequenas coisas (oferecer pequenas escolhas, dirigido com opções, em vez de perguntas sim / não).
  3. Distração. Vá para outro ambiente. Ofereça um brinquedo mais seguro, cante uma canção.
  4. Escolha suas batalhas. Às vezes você tem que ceder um pouco. No entanto, a sua persistência no dia a dia é a chave para reduzir o nível e a frequência das birras. Embora a maioria dos acessos de raiva aconteça em crianças de 1 a 3 anos de idade, muitas crianças continuam a acessos de raiva nos anos escolares.
  5. Conheça os limites do seu filho. Obviamente alguns dias são mais difíceis do que outros.
  6. Não ignore comportamentos como bater, chutar, morder, ou atirar coisas. Tenha uma política de tolerância zero.
  7. Se as birras acontecem quando o seu filho está com fome, tenha um lanche saudável com você quando você está fora de casa. Se acontecem quando o seu filho está cansado, priorize o sono. Às vezes é muito melhor em todos nós.
  8. Dê a si mesmo uma pausa quando você precisar dela. Reveze-se com o pai ou algum parente ou amigo quando sua frustração aumenta.

 

Fonte Mama Doc Medicina: Encontrando a calma e confiança na Maternidade, Saúde da Criança, e Equilíbrio Trabalho-Vida (Copyright © 2014 Wendy Sue Swanson)

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade