PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Os adolescentes e a vacinação
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Os adolescentes e a vacinação

Os adolescentes e a vacinação

14/05/2013
  421   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Pesquisa aponta a despreocupação dos pais quanto à prevenção por meio de vacinas nos jovens

 vacina em adolescentes

Apesar do fato das vacinas serem reconhecidas como um meio seguro e eficaz de proteção contra uma série de doenças imunopreveníveis, muitos adolescentes ainda não receberam as vacinas recomendadas pelo Ministério da Saúde e pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Mas isso não ocorre somente aqui.

No estudo “Motivos para não Vacinar Adolescentes: Pesquisa Nacional de Adolescentes, 2008-2010“, onde os autores analisaram entre os anos de 2008 a 2010, para a Pesquisa Nacional de Imunização de Adolescentes, o porquê dos pais não se preocuparem com a manutenção das doses nos filhos adolescentes e quais são as razões para isso ter mudado ao longo dos anos.

Os pais de adolescentes que não foram vacinados para tétano, difteria, coqueluche e vacina meningocócica deram razões semelhantes, incluindo:

• “Não recomendado” e “Não é necessário”.

Essas razões permaneceram consistentes ao longo dos anos para dTpa/Td e MCV4. Os principais motivos que fizeram os pais não vacinarem as filhas contra o vírus do papiloma humano (HPV) incluía as mesmas motivações para outras vacinas, como também “não sexualmente ativa”, “não era apropriado” e “questões de segurança/efeitos colaterais”. De 4,5% em 2008 essa preocupação sobre a segurança das vacinas cresceu para 16,4% em 2010. A intenção dos pais de não vacinar as crianças para HPV também aumentou de 39,8% em 2008 para 43,9% em 2010.

Os autores do estudo concluem que apesar das recomendações do médico, os pais se recusam a imunizar os filhos adolescentes contra doenças imunopreveníveis, como o HPV, uma doença preocupante. Isso pode exigir uma discussão mais detalhada sobre a segurança da vacina e a eficácia dela, a fim de melhorar as taxas de imunização futuras.

Aqui no Brasil, eu incluiria a falta de conhecimento das vacinas durante toda a vida, não só das crianças como dos pais também, a falta do acompanhamento pediátrico e de puericultura tanto na saúde oficial como na suplementar.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Reasons for Not Vaccinating Adolescents: National Survey of Teens, 2008-2010 | Pediatrics

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade