PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Prevenir adolescente quanto ao uso de substâncias dopantes nas academias
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Prevenir adolescente quanto ao uso de substâncias dopantes nas academias

Prevenir adolescente quanto ao uso de substâncias dopantes nas academias

18/10/2016
  545   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Como pediatra, cansei de ouvir histórias de pais preocupados com seus filhos adolescentes que iniciaram o uso de complementos alimentares ou de substâncias para melhorar o resultado da malhação em academias.

Adolescentes frequentemente usam substâncias como suplementos dietéticos e esteroides para melhorar a sua aparência, ao invés de impulsionar funcionamento atlético, de acordo com um relatório clínico pela Academia Americana de Pediatria.

O relatório, “Uso de substâncias dopantes “, publicado em julho passado na Pediatrics, atualiza e consolida declarações anteriores relativas a ambas as drogas farmacêuticas ilícitas e legais como suplementos, que permanecem não regulamentadas. Comentários de vários estudos mostram que, enquanto o uso global de muitas substâncias tem diminuído, o uso continua a prevalecer em crianças e adolescentes. Os meninos têm maior risco do que as meninas para a maioria das substâncias dopantes, tais como proteína em pó, creatina e esteroides anabolizantes. Meninas apresentam taxas muito mais elevadas de uso da pílula sem prescrição médica. O artigo levanta preocupação com a contaminação dos produtos recomendados pelas lojas de suplementos, balconistas e redes sociais. Vários estudos que testaram suplementos proteicos, avaliaram que 8 a 20% dos produtos estavam contaminados com quantidades significativas de metais pesados. Vários estudos também têm mostrado uma correlação entre o uso de substâncias e uso de desempenho-realçando álcool e drogas, bem como outros comportamentos de risco. Para a maioria dos jovens atletas, o uso de tais substâncias se revelou não melhor do que os ganhos obtidos durante o início da puberdade, com nutrição adequada e treinamento atlético apropriado.

A AAP recomenda que os pediatras estejam cientes das tendências de evolução do uso de substâncias, como os esforços de marketing agressivos e a falta de supervisão regulatória.

A prevenção e orientação do adolescente quanto a este assunto é muito importante e cabe aos pais observarem o que seus filhos andam fazendo e tomando, procurando orientá-los a procurar profissionais sérios, seja médico, educador físico ou nutricionista.

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fontes:  Pediatrics, July 2016, VOLUME 138 / ISSUE 1

From the American Academy of Pediatrics: Clinical Report

COUNCIL ON SPORTS MEDICINE AND FITNESS

Use of Performance-Enhancing Substances

Michele LaBotz, Bernard A. Griesemer,

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade