PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Quando as coisas não são perfeitas: cuidar de si mesmo e de seus filhos
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Quando as coisas não são perfeitas: cuidar de si mesmo e de seus  filhos

Quando as coisas não são perfeitas: cuidar de si mesmo e de seus filhos

31/03/2016
  536   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

 

Em nossa vida raramente todas as coisas estão bem ao mesmo tempo. Na maioria das vezes algumas áreas estão com problemas e outras vão bem. Nestas situações, nas quais existem coisas que não estão perfeitas, e que podem de alguma maneira afetar nossos filhos, como devemos proceder?

As crianças são resilientes e sairão bem disso tudo, esta é a mensagem que ouvimos. Alguns fatos são muitos comuns:

  • Divórcio
  • A violência na comunidade ou nos noticiários
  • A morte de um ente querido ou de um animalzinho de estimação,

Estes eventos podem causar muito estresse para algumas crianças e quando não têm o apoio correto, podem causar danos. À medida que aprendemos mais sobre como os cérebros das crianças se desenvolvem, entendemos que experiências estressantes em curso podem causar dano real no cérebro e para a saúde física e mental e o bem-estar estará afetado mesmo na idade adulta.

O Estudo de Experiências Adversas na Infância, nos mostra que doenças como diabetes, pressão alta, obesidade, abuso de substâncias, e outras são muito mais comuns em adultos que sofreram adversidades sérias quando eram crianças. Quanto maior o número de experiências adversas na infância, mais chance destas crianças quando adultos, desenvolverem problemas de saúde. Há um número de diferentes fatores que desempenham um papel em crianças sobre como responderão ao estresse.

O corpo humano é projetado para lidar com algum estresse. Alguns, como o primeiro dia do jardim de infância ou trabalhar em um projeto de escola podem realmente ser positivos e ajudar as crianças a desenvolverem a resiliência. Resiliência significa ser capaz de adaptar-se e lidar com o estresse de uma forma que ajuda a lidar com situações estressantes no futuro.

Às vezes, as respostas ao estresse das crianças podem ser muito prejudiciais, especialmente sem a presença de adultos atenciosos e solidários em suas vidas. Quando as crianças experimentam uma situação muito estressante uma vez ou estão expostos a um ambiente cronicamente estressante, a forma natural do corpo de lidar com o estresse pode se prejudicar a saúde. Quando isso acontece, pode resultar em algo que chamamos de estresse tóxico e que pode levar a desafios de comportamento, doenças e problemas de saúde mental.

As crianças podem ser protegidas contra esse estresse tóxico com o amor dos adultos e por meio do suporte que recebe ao seu redor, especialmente dos pais ou cuidadores, que podem tranquilizá-los e ajudá-los a curar depois de terem experimentado algo traumático.  

Um ambiente seguro, estável, relações amorosas tendem a neutralizar os efeitos do estresse tóxico.

O que aconteceu com os pais quando eram crianças pode afetar a sua saúde agora como adultos. Memórias dos pais de como eles foram criados podem moldar a forma como elas criam seus próprios filhos. Às vezes os pais que sofreram ACEs podem ter problemas quando ocorrem situações estressantes.

Eles podem perder a paciência mais rapidamente ou ter mais problemas de saúde, ou ainda podem ter que lutar contra uma depressão. Muitas pessoas, incluindo os pais, podem usar maneiras saudáveis ​​para ajudar a acalmar o ambiente; não gritando com parceiros ou filhos, não fumando, não consumindo bebida alcoólica ou drogas.

Pais e outros adultos amorosos são muito importantes para ajudar as crianças praticarem a resiliência. Os pais precisam cuidar de si mesmos antes para que sejam capazes de ajudar seus filhos.

Identifique o seu círculo de apoio. Paciência é difícil, especialmente quando as famílias têm experimentado momentos complicados. Ninguém deve tentar fazê-lo sozinho. Buscar o apoio de conselheiros, médicos, família e amigos, comunidades de fé e outros, podem ajudá-lo a ver o que você está fazendo bem e para conectá-lo com mais apoio quando necessário.

  • Cuide de si mesmo fisicamente. Coma de maneira saudável, durma o suficiente, pratique uma rotina de exercícios, cuide de suas necessidades médicas e dar-se algum tempo sem crianças para relaxar.
  • Identificar as coisas que você gosta de fazer e dar tempo para eles.
  • Identificar formas de manter a calma ou que ajudem a lidar com o estresse quando isso acontece. Dê uma caminhada, pratique a respiração profunda, converse com amigos, medite ou reze.
  • Tire um tempo para pensar sobre o que aconteceu em sua própria infância e como poderia estar te afetando agora. Se isso é difícil ou doloroso, considere obter apoio de um conselheiro ou simplesmente pedir a alguém que você confia.

Esteja ciente de que ACEs e outras dificuldade podem trazer consequências para o desenvolvimento do cérebro das suas crianças e de sua saúde em geral. Se algo traumático acontece com seus filhos ou família, compartilhe essas informações com seu pediatra. Os profissionais médicos podem te ajudar com o apoio de que necessita. Quanto mais cedo conseguir apoio para suas crianças, mais fácil será para se recuperarem e continuarem a viver uma vida saudável e menos estressante.

Fonte: Trauma Tool Box for primary care (Copyright © 2014 Academia Americana de Pediatria

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade