PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Quando molhar a cama vira um problema
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Quando molhar a cama vira um problema

Quando molhar a cama vira um problema

20/04/2011
  976   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

criança dormindo

Fazer xixi na cama antes dos cinco anos é comum, afinal o sistema urinário dos pequenos ainda não está totalmente amadurecido. Após esse período, porém, os pais devem ficar atentos, pois pode se tratar de uma doença, conhecida como enurese noturna.

A perda involuntária de urina envolve causas distintas. Uma delas é física, ou seja, quando a bexiga se contrai involuntariamente. Há também o que chamamos de poliúria noturna, quando ocorre aumento da quantidade de urina durante a noite pela falta de um determinado hormônio. E ainda consideramos como motivo a dificuldade no despertar ou de reconhecer a sensação de bexiga cheia.

Outro fator curioso envolve hereditariedade: se um dos pais ou ambos passarem pelo problema na infância, as chances de seus herdeiros molharem a cama são altas. O alívio é saber que todos os casos têm solução e raramente estão associados a algo grave.

A atitude dos adultos de aceitação e tolerância, no entanto, são fundamentais para o sucesso do tratamento. Os adultos precisam entender que a criança não faz de propósito, não têm culpa. Intervenções comportamentais simples, como evitar a ingestão de líquidos antes de dormir e/ou levar a criança ao banheiro durante a noite, costumam ser indicadas com sucesso.

Em outros casos, pode-se recorrer ao uso de medicamentos que reduzem a produção de urina ou que controlam as contrações vesiculares. O ideal é procurar um profissional para avaliar o  caso. Molhar a cama também pode esconder outros males, como o diabetes, doença renal crônica e outras condições psicológicas, como estresse, depressão e/ou ansiedade.

Mas, quando começar o tratamento, perguntam os pais? Vai depender da maturidade da criança e do nível de tolerância da família. Nada que doses de paciência, compreensão e interesse pelo assunto não resolvam.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

  • joyce lima disse:

    minha filha de 4 anos (rayane) faz xixi na cama, a questão é que aos 3 anos ela já havia saído das fraudas com sucesso, e no meio da madrugada, quando ela faz xixi, ela está acordada. Por varias vezes conversei com ela sobre isso e ela insiste em dizer q não levanta por frio ou preguiça. isso ocorria com menos frequência, agora acontece todos os dias. o q faço???

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Joyce, encaminhamos sua dúvida ao nosso corpo clínico e em breve lhe daremos uma resposta. Abraços! 🙂

    • Equipe Sabará disse:

      Joyce, uma criança de 4 anos não entende direito o que acontece e provavelmente está repetindo o que ouve ou que lhe é perguntado.
      Me parece que deve ter ocorrido algum fato que fez com que ela tivesse uma regressão, como uma perda, morte, separação ou um nascimento, qualquer mudança. Caso você não saiba, seja bom procurar um psicólogo.

  • Mari disse:

    Meu filho tem 5 anos e 4 meses e não acorda para fazer xixi. Ele faz muito xixi durante a madrugada. já cortei o mamá e a ingestão de líquido antes de dormir.Durante o dia é normal, vai ao banheiro tranquilamente.

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade