PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Quando não se preocupar com autismo
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Quando não se preocupar com autismo

Quando não se preocupar com autismo

14/04/2015
  6839   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

autismo (1)

Comemorou-se em 2 de abril o dia internacional da conscientização dos Transtornos do Espectro Autista (TEA). Muitos pais se preocupam com alguns pontos do desenvolvimento da criança e com o aumento da incidência do TEA.

Aqui colocamos algumas dicas para orientação:

 

  • Pais competitivos – Pare de comparar!

O ato de comparar o que nossos filhos fazem, com o que os primos ou filhos dos nossos amigos fazem não é muito difícil de evitar. E pode fazer muita diferença.

 

  • Fale com o pediatra do seu filho se você está preocupado.

Se em algum momento você se preocupa que seu filho não está expressando alegria, ou não comunica os pensamentos, ou ainda tem um entendimento difícil de sua linguagem, fale com o médico do seu filho.

 

  • Marcos tranquilizadores do Desenvolvimento de Bebês e Crianças

A seguir estão alguns sinais de que o seu filho está desenvolvendo habilidades de comunicação no tempo correto:

 

  • Responde a seu nome entre 9 e 12 meses de idade
  • Sorri em torno dos 2 meses de idade; ri em torno de 4 a 5 meses; expressa grande alegria em torno de 6 meses
  • Joga e acha engraçado brincar de se esconder em torno de 9 meses de idade
  • Faz contato visual com as pessoas durante o primeiro ano de vida
  • Tenta dizer palavras que você diz, entre 12 e 18 meses de idade
  • Usa 5 palavras aos 18 meses de idade
  • Imita seus gestos como apontar, bater palmas, acenar, ou ou finge falar ao telefone com um brinquedo
  • Mexe a cabeça como se estivesse dizendo “não”
  • Dá tchau com 15 meses de idade
  • Quer lhe mostrar algo interessante ou para chamar a sua atenção com 18 meses de idade

 

São coisas simples que podemos observar e atitudes que se facilmente tomadas, farão uma grande diferença para as crianças portadora de TEA.

 

Autor: Dr José Luiz Setúbal

Fonte: Mama Doc Medicine: Finding Calm and Confidence in Parenting, Child Health, and Work-Life Balance (Copyright © 2014 Wendy Sue Swanson)

 

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o atendimento médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o seu pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade