PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Refrigerantes e obesidade: uma relação perigosa
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Refrigerantes e obesidade: uma relação perigosa

Refrigerantes e obesidade: uma relação perigosa

21/10/2013
  575   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

E mais uma vez chamamos a atenção sobre o consumo dessas bebidas que podem comprometer a saúde dos pequenos

Refrigerantes e obesidade

É comum em entrevistas ou no consultório, e até mesmo na minha vida social, ser indagado quanto de refrigerante pode ser dado às crianças. É comum também em passeios pelos shoppings centers brasileiros, ver bebês consumindo-o direto da mamadeira. Embora o consumo de bebidas adoçadas tenha sido associado ao status de peso em crianças mais velhas, o efeito delas sobre a idade pré-escolar é menos claro.

Um estudo realizado nos EUA constatou que crianças de 4 e 5 anos de idade, que bebem uma ou mais bebidas adoçadas com açúcar por dia, incluindo refrigerantes, bebidas esportivas ou bebidas de frutas que não são 100% de suco, eram mais propensas a ter excesso de peso ou serem obesas.

Aos 2 anos de vida, não havia uma ligação entre bebidas adoçadas e obesidade, embora essas crianças tenham apresentado maiores mudanças nos escores de índice de massa corporal nos dois anos seguintes em comparação às crianças que não as bebem regularmente.

Os pesquisadores descobriram que crianças que consomem bebidas adoçadas, consumiram menos leite e são mais propensas a assistir mais de duas horas de televisão por dia.

Como se vê, tudo está relacionado com maus hábitos e é isso que precisamos, como pediatra e como um Centro Médico de Saúde Infantil, divulgar e orientar à população, a fim de pontuar o risco dessas bebidas na saúde da criança e os efeitos que podem trazer para o resto da vida.

Os autores do estudo concluem que os pais e os cuidadores devem ser desencorajados a dar aos filhos bebidas adoçadas, mas sim bebidas naturais ou sem calorias, além do leite para crianças até 5 ou 6 anos.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Sugar-Sweetened Beverages and Weight Gain in 2- to 5-Year-Old Children | Pediatrics

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade