PESQUISAR

Residência Médica
Residência Médica
Como a saúde do coração está ligada ao uso de Smartphone?
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Como a saúde do coração está ligada ao uso de Smartphone?

Como a saúde do coração está ligada ao uso de Smartphone?

08/01/2019
  230   
  1
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Uma das preocupações de educadores, psicólogos, sociólogos, filósofos e pensadores da atualidade é a relação dos seres humanos com as máquinas

No início de agosto li um artigo interessante na CNN, que enfocava o problema das telas na saúde cardíaca das crianças. O tempo de tela tem sido associado à obesidade e problemas de saúde do coração e o limite o tempo de tela para crianças de uma a duas horas todos os dias, segundo a American Heart Association e a Academia Americana de Pediatria (AAP). Pais, há ainda outra razão para limitar o tempo de tela para seus filhos: isso pode contribuir para futuras doenças cardíacas.

O conselho mais recente vem da American Heart Association e reforça as recomendações existentes para limitar o tempo de tela para crianças e adolescentes a não mais do que uma a duas horas por dia.

Um painel de especialistas da American Heart Association revisou 20 anos de ciência sobre a relação entre a saúde do coração como doença cardiovascular, acidente vascular cerebral e tempo de tela auto relatado por crianças e adolescentes.

Eles descobriram que, embora a visualização de TV esteja inativa ou diminuindo nos últimos anos, o uso de telas de celulares está em alta, resultando em um aumento geral de tempo nestes aparelhos e na frente das telas.

Hoje, estima-se que as crianças de 8 a 18 anos gastem mais de sete horas por dia em smartphones, tablets, videogames e outros dispositivos recreativos baseados na tela, incluindo a televisão.

Embora o tempo gasto com sedentarismo na TV possa estar em baixa, o uso de outros tipos de telas mais portáteis não parece estar aumentando a atividade entre os jovens, observou este painel de especialistas.

A visualização passiva ainda é a atividade número um das crianças, seja um videogame ou laptop ou computador de mesa, as crianças ainda estão sentadas. Como o comportamento sedentário está ligado ao risco de obesidade, e a obesidade está ligada a doenças cardíacas, não é necessário um detetive para descobrir a conexão.

Há dados fortes que relacionam o tempo de TV na infância com a obesidade infantil, acrescentando que parece estar relacionado à propaganda de alimentos não saudáveis ​​e à probabilidade de uma criança fazer um lanche enquanto assiste à televisão.

Isso aumenta as preocupações reais de que as telas influenciem os comportamentos alimentares, possivelmente porque as crianças ‘sintonizam’ e não percebem quando estão cheias quando comem em frente a uma tela, segundo as observações dos   pesquisadores do INRS-Institut Armand Frappier e Sainte. -Justine University Hospital Research Center, em Montreal.

Há também evidências de que as telas estão prejudicando a qualidade do sono, o que também pode aumentar o risco de obesidade, de acordo com o grupo de redação da American Heart Association.

Idealmente, os dispositivos baseados em tela não devem estar nos quartos das crianças e dos adolescentes, porque alguns estudos descobriram que ter dispositivos baseados em tela no quarto pode afetar o sono e aumentar o tempo de uso.

Até agora, a pesquisa não mostra uma conexão entre obesidade e mídia social ou jogos, talvez porque é mais difícil lanchar enquanto joga. Mas a pesquisa está tendo dificuldades para acompanhar os avanços tecnológicos, e pesquisas de longo prazo são necessárias.

O painel de especialistas da American Heart Association concordou, acrescentando que pouco se sabe sobre os efeitos do uso da tela a longo prazo na saúde das crianças. Os pais também precisam de conselhos baseados em pesquisas científicas sobre como diminuir a chamada de telas e melhorar a atividade física e a alimentação na infância e na adolescência.

As idéias atuais para ajudar os pais incluem fazer com que toda a família fique ativa, agendar uma atividade física todos os dias, remover dispositivos de tela de TV e celulares do quarto e planejar a visualização de TV com antecedência. A Academia Americana de Pediatria tem uma ferramenta interativa para criar um plano personalizado de uso de mídia para a família.

Lembre-se, nem toda tecnologia é ruim, e como disseram especialistas.

“Existem maneiras de alavancar a tecnologia para melhorar a saúde”. Hoje já existem rastreadores de fitness ou de atividades para crianças a partir de 8 anos. Com isso os pais e mães podem acompanhar o nível de atividade de seu filho com dados reais.

A saúde do coração começa durante a infância, então acho muito apropriado que a American Heart Association examine todas as questões que podem contribuir para doenças cardíacas e faça este alerta para as pessoas preocupados com a saúde das crianças e jovens.

Saiba mais sobre isso no blog do Hospital Infantil Sabará:

autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: American Heart Association

Sandee LaMotte, CNN

https://edition.cnn.com/2018/08/07/health/screen-time-children-heart-health/index.html

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740)Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP.Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mensagem enviada

posts relacionados

NOSSAS INICIATIVAS
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade