PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Um alerta para o risco de doenças cardíacas
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Um alerta para o risco de doenças cardíacas

Um alerta para o risco de doenças cardíacas

11/01/2012
  655   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

Instituições médicas americanas recomendam cuidados com a saúde do coração das crianças e adolescentes

As doenças cardiovasculares são raras em crianças, no entanto, fatores de risco presentes na infância podem aumentar significativamente a probabilidade de se desenvolver enfermidades cardíacas na idade adulta.

Por isso, as novas diretrizes feitas nos EUA (pelo National Heart Lung, and Blood Institute, parte dos Institutos Nacionais de Saúde, aprovadas pela Academia Americana de Pediatria) orientarão os prestadores de cuidados de saúde, por meio de um roteiro integrado para tirar todas as dúvidas em relação aos principais fatores de riscos cardiovasculares.

As novas recomendações mostram como prevenir o desenvolvimento de fatores de risco cardiovascular e aperfeiçoar a saúde do coração, o que começa com o leite materno e uma dieta baixa em gorduras saturadas, a partir de um ano de idade. As diretrizes também incentivam a proteção contra o fumo, bem como atividade física regular. Ao trabalhar com as famílias, podemos evitar que as crianças tenham problemas mais sérios na fase adulta.

Uma mudança significativa a partir das orientações anteriores, está na realização de exames para verificação do nível de colesterol, que devem ser realizados, pelo menos uma vez entre 9 e 11 anos de idade e novamente de 17 a 21.

Estima-se que uma pesquisa universal seja realizada a fim de identificar as crianças com um risco elevado de doença cardiovascular e permitir que os pediatras acompanhem estes pacientes e orientem seus pais e cuidadores.

Menos de 1% das crianças, principalmente aquelas com dislipidemias genéticas, ou seja, excesso de gordura no sangue, qualificariam-se para baixar o colesterol com medicamentos. A maior parte delas deveria ser tratada por meio de modificações de estilo de vida, que inclui dieta e atividade física para as que têm pressão arterial elevada.

A diretriz também identifica a idade e as estratégias específicas para reduzir fatores de risco e regular doenças cardiovasculares em crianças e adolescentes.

Estamos cientes de que os médicos têm uma longa lista de coisas que é preciso orientar como parte da promoção da saúde e prevenção de doenças. E o assunto é realmente importante e deveria estar no rol. Nós, como pediatras, precisamos orientar para que as crianças comecem no caminho certo e devemos mantê-las na categoria de baixo risco sempre que possível.

Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: “The Expert Panel Report on Integrated Guidelines for Cardiovascular Health and Risk Reduction in Children and Adolescents” – published online Nov. 11, 2011 in the journal Pediatrics as a supplement to the December 2011 print issue

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade