PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Violência e a depressão na infância
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Violência e a depressão na infância

Violência e a depressão na infância

25/08/2015
  706   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

violencia-e a-depressao-na-infancia

Violência armada continua a ser um problema de saúde pública entre as crianças. Homicídio por arma de fogo é classificado como um das principais causas de morte relacionada a lesões para crianças a partir de um ano de idade nos EUA.

No estudo, “Envolvimento Arma na vitimização das Crianças”, da revista Pediatrics, pesquisadores examinaram dados sobre a exposição a armas de fogo entre crianças de dois a 17 anos, como parte da 2ª Pesquisa nacional de exposição infantil à violência.

Uma em cada quatro crianças tem sido exposta à violência que envolve uma arma, seja como testemunha ou vítima. Uma em cada 33 crianças tem sido diretamente agredida em incidentes envolvendo armas ou facas. Como se pode ver existe um alto risco de contato com este tipo de violência nos EUA, mas não deve ser muito diferente no Brasil.

Crianças expostas à violência envolvendo uma arma tiveram maiores taxas de sintomas de trauma, poli vitimização (experimentando sete ou mais tipos de vitimização no ano passado). A exposição à violência envolvendo armas de elevada letalidade está associada a sintomas de trauma mais elevados, para além da exposição a todos os outros tipos de violência. Jovens expostos a gangues são duas vezes mais propensos a relatar serem vítimas da violência que envolve uma arma.

Os autores do estudo concluem que a exposição das crianças à violência envolvendo armas de elevada letalidade pode levar a problemas de saúde mental, tais como depressão, ansiedade e agressividade. É necessário mais trabalho de segurança e reforço das práticas para proteger as crianças deste tipo de violência.

No ano de 1997, no Brasil, cerca de 7% do total gasto com internações hospitalares pelo Sistema Único de Saúde foram devido às causas não naturais, entre elas os acidentes por causas externas, como os acidentes automobilísticos, os ferimentos por arma branca e os ferimentos por arma de fogo. Em 2000, no país, 35% das internações hospitalares por causas externas ocorreram na faixa etária dos 15 aos 24 anos, e 37% dos 25 aos 39 anos, sendo que o sexo masculino compôs 84% do total desses pacientes (Souza, 2005).

As lesões e óbitos de adolescentes e adultos jovens, por causas não naturais, penalizam o indivíduo, desamparam seus familiares, aumentam o número de anos potenciais de vida perdidos, minimizam a produtividade social e econômica, impõe ônus ao país, afetando a economia e o crescimento.

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Pediatrics, jun 2015

Article: Weapon Involvement in the Victimization of Children.

As informações contidas neste site não deve ser usado como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal (CRM-SP: 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo , com Especialização na Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduação em Gestão na UNIFESP. Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás e David.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade