PESQUISAR

Sobre o Centro de Pesquisa
Sobre o Centro de Pesquisa
Residência Médica
Residência Médica
Câncer em crianças e adolescentes: é raro, mas existe
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp
Câncer em crianças e adolescentes: é raro, mas existe

Câncer em crianças e adolescentes: é raro, mas existe

05/10/2023
  948   
  0
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Google Plus Compartilhar pelo WhatsApp

O câncer infantil é raro e, atualmente, é mais facilmente diagnosticado e tratado do que nunca. Com melhores exames para determinar os tipos específicos de câncer e melhores tratamentos disponíveis, hoje mais de 80% das crianças e adolescentes com câncer sobreviverão.

Geralmente, os sinais e sintomas do câncer imitam outras doenças. Os pediatras preocupados com um possível câncer encaminharão seu filho(a) a um centro oncológico pediátrico, com um médico especializado no diagnóstico e tratamento de câncer infantil.

Abaixo estão alguns dos exames mais comuns usados ​​para diagnosticar câncer em crianças e adolescentes. Vale destacar que nem todos os mencionados aqui são necessários para diagnosticar todos os tipos de câncer.

Os exames de sangue ajudam a procurar câncer no sangue ou a determinar os danos aos tecidos do corpo. Exemplos de exames de sangue comuns incluem:

  • O hemograma completo examina o número de glóbulos vermelhos que transportam oxigênio para o corpo, o número e tipo de glóbulos brancos que combatem infecções e o número de plaquetas que ajudam o sangue a coagular. Às vezes, esse teste mostra células de leucemia, que são glóbulos brancos anormais e cancerosos que não combatem infecções.
  • O painel metabólico ou químico completo mostra quão bem o fígado e os rins estão funcionando e se há substâncias químicas anormais provenientes da decomposição das células cancerígenas.
  • Os biomarcadores tumorais são substâncias especiais que certos tipos de câncer secretam na corrente sanguínea. Diferentes biomarcadores tumorais ajudam a determinar diferentes tipos de câncer e a determinar se o câncer ainda existe durante ou após o tratamento.

Os exames de urina ajudam a procurar danos nos rins e/ou na bexiga causados ​​por células cancerígenas ou biomarcadores tumorais, substâncias especiais que certos tipos de câncer secretam na urina.

Os estudos de imagem ajudam a procurar um câncer dentro e ao redor dos tecidos normais do corpo. Diferentes tipos de imagens são feitos em diferentes máquinas, usando diferentes técnicas para observar diferentes partes do corpo. Exemplos de estudos de imagem comuns incluem:

  • A radiografia simples ou raios X usam radiação ionizante em uma direção, por alguns segundos, como uma câmera, para tirar uma foto do tórax, abdômen, pelve e/ou ossos.
  • A ultrassonografia ou ultrassom utiliza ondas sonoras com uma varinha colocada sobre a pele hidratada, por vários minutos, para fazer uma imagem da pele e dos tecidos moles do pescoço, mama, abdômen e/ou pelve.
  • A tomografia computadorizada usa radiação ionizante de uma máquina em forma de rosca que se move ao longo de uma criança que está deitada por vários minutos, para fazer uma imagem tridimensional de qualquer parte do corpo (cérebro, cabeça, pescoço, tórax, abdômen, pélvis, coluna, braços e/ou pernas). Às vezes, um contraste especial é injetado na corrente sanguínea antes do exame para diferenciar melhor o tecido normal do câncer.
  • A ressonância magnética usa campos magnéticos de uma máquina barulhenta em forma de tubo, na qual a criança fica imóvel por vários minutos, para fazer uma imagem tridimensional de qualquer parte do corpo (cérebro, cabeça, pescoço, tórax, abdômen, pélvis, coluna, braços e/ou pernas). Um contraste especial é injetado antes da ressonância magnética para diferenciar melhor o tecido normal do câncer.
  • A tomografia por emissão de pósitrons ou PET requer a injeção de um contraste especial levemente radioativo na corrente sanguínea, que vai para as células em divisão muito ativa (incluindo câncer). A radiação ionizante é detectada por uma máquina barulhenta em forma de rosca que se move ao longo de uma criança que fica deitada imóvel por vários minutos. Isto pode ser combinado com uma tomografia computadorizada para criar uma imagem tridimensional de todo o corpo que permite distinguir melhor o câncer do tecido normal.
  • As varreduras ósseas envolvem a injeção de uma substância radioativa temporária que contém partículas carregadas na corrente sanguínea, que só vai para o osso inflamado, danificado ou anormal, que é detectado por uma máquina de varredura especial que tira uma foto do corpo e ajuda a distinguir melhor o osso normal do câncer.
  • Os exames de meta-iodobenzilguanidina ou MIBG requerem uma injeção de uma substância radioativa temporária na corrente sanguínea, que só é absorvida por alguns tipos de câncer que envolvem tecido nervoso, como feocromocitoma e neuroblastoma. Isto é detectado por um scanner especial que cria uma imagem do corpo, permitindo distinguir o câncer do tecido normal.

Já os estudos de amostragem de tumores podem incluir:

  • Biópsia tumoral: depois que a criança recebe anestesia ou sedação, que causa sono temporário e alivia qualquer dor, o cirurgião opera a parte do corpo da criança onde o tumor está localizado. Após a retirada do tecido canceroso, o cirurgião fecha a ferida com pontos especiais chamados suturas, aplica um curativo de gaze e a criança é acordada. A amostra de tecido cancerígeno ou de linfonodo é enviada a um patologista, um médico que examina o tecido microscopicamente para determinar o tipo específico de câncer. Outros testes podem ser realizados, incluindo citometria de fluxo para procurar marcadores proteicos anormais na superfície das células cancerígenas ou testes genéticos especiais para procurar biomarcadores tumorais e mutações no DNA que determinam o subtipo de câncer.
  • Aspirado e biópsia de medula óssea: utilizado para detectar câncer na medula óssea, a parte central do osso onde são produzidos os glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas.
  • Punção lombar: detecta câncer no líquido cefalorraquidiano, o líquido especial ao redor do cérebro e da medula espinhal que mantém o sistema nervoso central saudável.

Aqui estão quatro categorias básicas de câncer, mais comuns na infância e adolescência, que possuem muitos subtipos de câncer dentro de cada categoria.

  1. A leucemia é o crescimento de glóbulos brancos anormais na medula óssea (núcleo mole dos ossos) e na corrente sanguínea;
  2. O linfoma é o crescimento de glóbulos brancos anormais nos gânglios linfáticos;
  3. Os tumores cerebrais e da coluna vertebral são o crescimento de tecido nervoso anormal ou tecido de suporte nervoso anormal no cérebro e/ou medula espinhal, também conhecido como sistema nervoso central (SNC);
  4. Os tumores sólidos são crescimentos cancerígenos de tecidos anormais que não estão na medula óssea, nos gânglios linfáticos, no cérebro ou na medula espinhal. Alguns exemplos de diferentes tumores sólidos incluem neuroblastoma (câncer da glândula adrenal), tumor de Wilms (câncer do rim), rabdomiossarcoma (câncer do músculo), osteossarcoma (câncer do osso), sarcoma de Ewing (câncer do osso), hepatoblastoma (câncer de fígado) e tumor de células germinativas (câncer de ovários ou testículos).

O Sabará Hospital Infantil mantém uma área especializada de atendimento a crianças e adolescentes com câncer em parceria com o AC Camargo Cancer Center. Atendemos crianças com todos os diagnósticos de câncer, com especialistas em oncologia pediátrica.

Fontes:

Seção de Hematologia/Oncologia da Academia Americana de Pediatria

https://www.hospitalinfantilsabara.org.br/centro-de-excelencia-e-servicos/nucleo-de-oncologia-pediatrica/

Saiba mais:

https://institutopensi.org.br/dia-internacional-de-luta-contra-o-cancer-infantil/

https://institutopensi.org.br/retinoblastoma-um-cancer-raro-que-pode-ocorrer-nos-olhos-das-criancas/

https://institutopensi.org.br/palavras-de-apoio-aos-pais-e-cuidadores-de-uma-crianca-ou-adolescente-diagnosticado-com-cancer/

https://institutopensi.org.br/blog-saude-infantil/cancer-em-criancas-e-adolescentes/

 

Dr. José Luiz Setúbal

Dr. José Luiz Setúbal

(CRM-SP 42.740) Médico Pediatra formado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com especialização na Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduação em Gestão na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Pai de Bia, Gá e Olavo. Avô de Tomás, David e Benjamim.

deixe uma mensagem O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posts relacionados

INICIATIVAS DA FUNDAÇÃO JOSÉ LUIZ EGYDIO SETÚBAL
Sabará Hospital Infantil
Pensi Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil
Autismo e Realidade

    Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se abaixo para receber nossas comunicações. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade de Instituto PENSI.